Fotografia documental

Museu disponibiliza online e gratuitamente o acesso as obras mais icônicas de Dorothea Lange

O Oakland Museum, da California, criou um arquivo online apresentando o trabalho da pioneira fotógrafa documental Dorothea Lange. Se você nunca explorou o trabalho de Lange, pode não haver maneira melhor de mergulhar. Para aqueles que não estão familiarizados com Dorothea Lange – embora suponhamos que todos que estão lendo isso tenham pelo menos visto a Mãe Migrante – ela é um ícone no mundo da fotografia documental e do fotojornalismo. Ela ficou mais conhecida por sua poderosa fotografia da era da depressão, que foi capturada para a Farm Security Administration (FSA) e ajudou a dar uma cara (muitas vezes, literalmente ) às ramificações da Grande Depressão. Mas suas imagens de depressão dificilmente são seu único trabalho bem conhecido e respeitado.

A “Mãe imigrante” de Dorothea Lange, feita em 1936, é uma das fotos mais icônicas das que a fotógrafa produziu para a FSA


Ela continuaria a cobrir habilmente o internamento de nipo-americanos durante a Segunda Guerra Mundial, a ‘morte’ de Monticello, Califórnia, cujos residentes foram deslocados pela condenação de Putah Creek e o trabalho heróico e doloroso do defensor público Martin Pulich, que foi publicada a revista LIFE (entre outras).

Dorothea Lange: uma lenda da fotografia

Tudo isso e muito mais é abordado na exposição do Oakland Museum, que é dividida em quatro partes: A Depressão, Segunda Guerra Mundial em Casa, Projetos Pós-Guerra e Primeiros Trabalhos / Trabalho Pessoal. Para explorar este tesouro da história da fotografia por si mesmo, vá até o Arquivo Digital Dorothea Lange do Oakland Museum of California e dê uma olhada. Apenas certifique-se de reservar tempo suficiente… e se tiver um tempinho de sobra também assista o documentário de Dorothea Lange que postamos aqui recentemente.

(via DPReview )