Primeiras fotos da história são vendidas por US$ 1,96 milhão

Um conjunto de 200 fotografias raras, as primeiras fotos da história, de William Henry Fox Talbott, considerado por alguns o pai da fotografia, foi vendido em um leilão por US$ 1.956.000, o que em conversão direta dá mais do que R$ 10 milhões. Talbott foi um cientista inglês, inventor e pioneiro da fotografia que criou o papel salgado e os processos de calotipagem, que são os precursores dos processos fotográficos.

O fotógrafo William Henry Fox Talbot, por John Moffat, em 1864

“Esta venda que quebra recordes é uma verdadeira celebração do nascimento da fotografia – o meio artístico mais criativo e bonito de nosso tempo. A competição acirrada entre licitantes na Europa, América e Ásia demonstra o enorme apetite entre uma ampla base de colecionadores ”, disse Emily Bierman, chefe de fotografia da casa de leilões Sotheby’s, em Nova York.

Primeiras fotos da história

O conjunto de fotos leiloado foi um presente do fotógrafo a sua irmã, Henrietta Horatia Maria Gaisford (nascida Feilding) na década de 1840, e passada para a família. A coleção é composta por fotografias soltas, álbuns pessoais, fascículos de O Lápis da Natureza e uma coleção completa de Imagens da Sun na Escócia. A casa de leilões diz que é indiscutivelmente o lote mais importante de fotos do século 19 que já chegou ao mercado, com nada perto de sua escala ou escopo já tendo aparecido em leilão antes. O valor inicial do conjunto de fotos era US$ 500 mil, mas o preço final quadruplicou e atingiu quase US$ 2 milhões, um novo recorde de valor nas obras do artista. Veja abaixo algumas fotos leiloadas:

Primeiras fotos da história
Primeiras fotos da história
Primeiras fotos da história

Os estudos de William Talbot e os primórdios da fotografia

Talbot iniciou suas pesquisas fotográficas, tentando obter cópias por contato de silhuetas de folhas, plumas, rendas e outros objetos. O papel era mergulhado em nitrato e cloreto de prata e depois de seco, fazia seu contato com os objetos, obtendo-se uma silhueta escura. Finalmente o papel era fixado sem perfeição com amoníaco ou com uma solução concentrada de sal. Às vezes, também era usado o iodeto de potássio.Janela da galeria sul da Abadia de Locock Abbey

No ano de 1835, Talbot construiu uma pequena câmera de madeira, com somente 6,30 cm², que sua esposa chamava de “ratoeiras”. A câmera foi carregada com papel de cloreto de prata, e de acordo com a objetiva utilizada, era necessário entre meia e uma hora de exposição. A imagem negativa era fixada em sal de cozinha e submetida a um contato com outro papel sensível. Desse modo a cópia apresentava-se positiva se a inversão lateral. A mais conhecida mostra a janela da biblioteca de Abadia de Locock Abbey, considerada a primeira fotografia obtida pelo processo negativo/positivo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *