Descubra como era o “photoshop” da fotografia analógica

O uso de softwares de edição na fotografia digital já foi muito discutido, questionado e criticado, mas hoje é uma unanimidade no mundo fotográfico. Por mais que uma foto tenha saído perfeita na hora do clic, ela sempre pode ser melhorada!

Nos primórdios da fotografia digital, a manipulação da imagem foi amplamente discriminada, o que na minha opinião  era um certo resquício da era analógica onde não tínhamos praticamente nenhum controle sobre a imagem após o clique. Todas as nuances de contraste, saturação, sombras e altas luzes de nossas fotografias ficavam dependentes do laboratório fotográfico que enviávamos nossos rolos de filme, a partir da entrega no balcão passávamos toda a responsabilidade  para a empresa que mantinha um certo modelo na revelação e o resultado disso era sempre o mesmo padrão.

iphoto-photoshop-analogico-antonio-neto
Imagem: Antonio Neto/Câmera Velha

O que poucos sabem é que a manipulação fotográfica é tão antiga quanto à fotografia. Sempre existiu o uso de ferramentas para alterar elementos na imagem. Grandes fotógrafos como Bresson e Salgado nunca esconderam sua dependência por laboratoristas que ajustavam suas imagens, a diferença era que essas ferramentas eram químicas ou mecânicas e hoje são eletrônicas.

Você já se perguntou qual o significado dos ícones da ferramenta dodge and burn do Photoshop? Pois bem, eram ferramentas utilizadas no ampliador expondo a luz ou fazendo sombras diretamente no papel durante o trabalho darkroom, que por sua vez inspirou o nome do software Lightroom, o qual permitiu fazer esses ajustes na imagem eletronicamente sem precisar de um quarto escuro.

iphoto-photoshop-analogico

E são várias as ferramentas utilizadas nesses softwares que têm como referência os recursos analógicos: a ferramenta de corte demarcado, máscaras, a lupinha – tudo isso eram ferramentas utilizadas nos laboratórios. No vídeo que segue demonstro na pratica como conseguir alterar algumas características da fotografia em locais específicos da imagem diretamente no papel no momento da ampliação!

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Sensacional, sou fotografo a mais de 35 anos e usei muito negativo e mandei revelar fotos em PB. Ainda tenho mais de 20 000 fotos culturais da Bahia e estou escaneando para transformar em digital. Sensacional para os novos conhecerem o sistema que precedeu a atual fotografia.
    Moises Sodre.
    Salvador. Ba. moisessodre@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *