Fotografia documental Mestres Profissão: fotógrafo

“Eu estava errado”, diz Sebastião Salgado, que vê longo futuro para a fotografia

Sebastião Salgado na abertura da exposição "The World Through His Eyes" | Foto: Jorge Sliva/Reuters
Sebastião Salgado na abertura da exposição "The World Through His Eyes" | Foto: Jorge Sliva/Reuters
Livro - Fotografia de Bebês

“Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes”, já cantava nosso querido Raul Seixas. Outro brasileiro muito querido, especialmente no meio fotográfico, mostrou na última semana que tudo bem admitir que errou e mudar. Sebastião Salgado, que criou muita polêmica dizendo que a fotografia estava chegando ao fim, agora afirma que a fotografia ainda tem muito futuro pela frente.

Em uma conferência antes da abertura de sua exposição “The World Through His Eyes”, em Bangkok (Tailândia), Salgado disse a Reuters sobre a fotografia:

“Não acho que esteja em perigo, pensei em algum ponto, mas eu estava errado e retiro o que disse. Agora, mais do que nunca, a fotografia tem um longo futuro pela frente”

Porém, ele continua veemente em acreditar que o que se faz com smartphones não é fotografia. “O que as pessoas fazem com seus telefones não é fotografia, são imagens”, disse. Estimativas da indústria dizem que o número total de fotos tiradas em 2017 vai passar de um trilhão – e 85% dessas imagens serão feitas com smartphones.

Foto: Jorge Sliva/Reuters
Foto: Jorge Sliva/Reuters

Ainda assim, Sebastião Salgado acredita que os fotógrafos documentais prevalecerão criando imagens memoráveis , fotografias que vão sobreviver. “A fotografia é uma coisa tangível, você a pega, você a olha, é algo parecido com a memória”.

Sebastião Salgado está com uma exposição gratuita em São Paulo que traz icônicas fotografias de sua trajetória (até 17 de março – veja mais clicando aqui).

Fonte: Reuters

Livro - Iluminação
Ruca Souza

Ruca Souza

Ruca Souza é editora do iPhoto Channel. Jornalista, também é fotógrafa de coisas e pessoas (nessa ordem) e tem uma banda de rock.

10 comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Como fotógrafo o senhor é sem dúvida um ícone! No entanto, não se meta a guru e nem a profeta tentando adivinhar o futuro disto ou daquilo! Vai sempre dar com o burro n’água. ( expressão usada pelos antigos).

  • Ele toda razão em falar que a fotografia não vai acabar, quando ele fala que 85% das fotos são feitas com Smartfones….ela já acabou…!

  • Fotografia acabou quando o sistema analógico acabou, o sistema digital é produção de imagens digitais. Talvez o que Sebastião Salgado tenha dito é que apertar o botão do smart fone milhares de vezes sempre resultará em alguma imagem boa, não exige técnica, conhecimento, muito menos sensibilidade, basta apertar o botão e depois a varinha mágica de correção. Os Médicos Radiologistas que faziam radiografias, hoje fazem ultrassonografias, ressonâncias magnéticas, tomografias, todos digitais, assim elas mudaram o nome para “IMAGINOLOGIA”. Os smarts fones e as máquinas digitais produzem imagens digitais, por isso sugiro que o nome seja mudado para “Digigrafia”

  • Quando valorizamos a sensibilidade humana o equipamento não faz muita diferença. Fotografia é arte e como tal o meio pouco importa: utilizando uma câmera de quadro cheio (full frame) ou uma simples digital compacta (com sensor minúsculo), fará sempre a diferença a peça que está atrás do visor.

  • Quanta BOBAGEM dita antes, agora e sempre, por esse Senhor!
    Esse Sr. foi transformado em ícone, a partir das fotografias abordando a ` MISÉRIA HUMANA´, e ficando milionário em cima desse tema. ABSURDO! Se fosse denuncia, mas não era. Foram livros VENDIDOS.
    O credito desse Sr. é ZERO para mim e vários profissionais. Como ser humano = ZERO

  • As coisas evoluem, e se aprimoram, minha primeira TV era P&B, hoje é uma 55″ Full HD, smart, mas ainda é uma TV, e ja tem melhores. Com uma maquina fotografica ainda capturamos imagens, sim, e agora de uma forma mais pratica com o celular tambem. Mudou o formato, a tecnologia, mas o impulso da captura de uma cena, de uma fração de tempo que se registra, esta ação, ainda é magica, ainda é buscada, ainda é tentada com criatividade, de todos os angulos e cores, ou como a minha primeira TV, em P&B.

  • Se smartphone não faz foto, o lambe-lambe também não… Hoje já temos configurações manuais na câmera do celular, zoom, etc. Certamente ainda aquém de uma DSLR, mas daí a dizer que não se faz ‘fotografia’ com eles, devo humildemente discordar. Outra frase infeliz que deverá ser retificada em futuro próximo…

  • Notem o seguinte; Sr. Sebastião Salgado referiu-se do processo fotográfico, e ñ do resultado. Elaboração programação, estudo profundo como os grandes do passado e da atualidade o fazem! É óbvio que um elaborador gere resultados muito mais relevante do que fotógrafos de registro de tudo, de qualquer coisa e de qualquer jeito. Sobre o celular, um fotógrafo analógico sempre pensará em uma boa fotografia em paralelo ao processo de impressão em grandes formatos de qualidade ! Aí o celular dança! 🙏

Como aprender mais fotografia…

Selected Title
  • SITE-vertical.png

Receba as novidades por e-mail