Você venderia uma foto por 50 centavos? Fotógrafos ficaram revoltados

Há muito tempo os fotógrafos buscam a valorização de suas fotos e da profissão. Porém, a ShutterStock, um dos maiores bancos de imagens do mundo, fez um comunicado que frustrou e deixou milhares de fotógrafos indignados. A partir do dia 01 de junho a empresa começou a pagar apenas R$ 0,50 (cinquenta centavos de reais ou US$ 0,10 de dólar ) por foto/download de royalties para cada fotógrafo afiliado do site. Embora a redução não seja linear para todos os fotógrafos, a grande maioria teve seus ganhos reduzidos entre 50 e 70%.

“Experimente dar uma moedinha de 10 centavos de esmola e espere para ouvir a resposta. Isso é pra lá de exploração”, disse o fotógrafo Will Rodrigues, membro da comunidade Shutterstock Colaboradores Brasil, numa postagem. O fotógrafo Thiago Santos também reclamou no grupo da nova política de preços: “O meu valor médio por foto já está em 30 centavos de dólar, antes era 59 centavos. Baixou quase 50%”. A fotógrafa Karina Kafotos emendou: “Achei que eles tivessem com algum problema no sistema. SQN! Mandei email e nada de obter a resposta… impossível esse valor”. Por fim, o fotógrafo Tácio Philip fez um breve e preciso comentário: “Dando o sangue por uns centavos”.

Postagem do fotógrafo Tácio Philip em uma comunidade no Facebook

Na Europa a revolta dos fotógrafos também foi grande. “Como comparação, [antes dessa nova estrutura de pagamento], meu download médio valia 70 centavos para mim (em oposição ao novo valor médio de 30 centavos). Portanto, se minha matemática estiver certa, perdi 57,1% do minha renda na Shutterstock. Estou chocado e realmente com muita raiva”, disse o fotógrafo inglês Jess Wealleans, do That Dog Spot.

Foto: Kat Jayne

Segundo os fotógrafos, a Shutterstock adotou essa política com pouco aviso e em meio a uma pandemia global, quando os ganhos dos fotógrafos já estavam sendo severamente limitados. Por isso, uma boa parte decidiu retirar suas fotos do site temporariamente como forma de protesto e também de pressionar a empresa a reavaliar a política de preços. Segundo o site Microstock, do dia 2 para o dia 3 de junho, houve uma diminuição de cerca de 200 mil no banco de imagens da Shutterstock. Um sinal claro de que uma parte dos fotógrafos está desativando suas contas no site.

Outra iniciativa para pressionar a Shutterstock a rever sua política foi a criação de uma petição online, que já está com mais de 9 mil assinaturas de fotógrafos de todo o mundo. Mas enquanto não há mudanças o que os fotógrafos podem fazer para manter seus rendimentos com a venda de fotos online? Uma alternativa é colocar suas fotos em outros sites que pagam valores mais aceitáveis. Deixamos aqui 3 sugestões para os interessados avaliarem como possível alternativa: Canstockphoto, Revolucy e StockFresh.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *