Tendência

Por que não vou mudar para as câmeras mirrorless

No mercado existe um termo chamado “efeito manada”. E em muitos casos ele é um péssimo caminho, pois você apenas segue o que os outros estão fazendo e não o que é o melhor para você. E isso acontece também na fotografia. Atualmente, há uma pressão implícita para que os fotógrafos abandonem suas DSLRs e mudem para as mirrorless. E poucas vozes falam ao contrário disso! Por isso, vamos repostar um artigo muito interessante do fotógrafo Ilya Ovachar, onde ele explica as razões por que, mesmo sendo um fotógrafo profissional, não vai mudar para as câmeras sem espelho. “Os fabricantes de câmeras vão me odiar por dizer isso, mas, honestamente, a última coisa que quero fazer é comprar uma nova. Mirrorless é o futuro, mas não é o presente”, disse ele no artigo.

“As câmeras mirrorless não são melhores do que DSLRs em todos os sentidos possíveis? Pode ser. Mas, honestamente, eu não me importo com isso. Não vou atualizar para o mirrorless tão cedo. Estou perfeitamente confortável com minha frota de DSLRs envelhecidas e estarei por pelo menos mais 5 anos. Neste artigo, explicarei por que não estou atualizando e sugerirei por que você também pode adiar a atualização para mirrorless.

Existe muito hype?

Hype é o exagero de algo, ou em marketing uma estratégia para enfatizar alguma coisa, ideia ou um produto.

No momento, existe muita badalação em cima de câmeras mirrorless (incluindo massivas campanhas publicitárias dos fabricantes). Outro dia até riram de mim porque só tinha DSLRs na minha bolsa de câmeras. As pessoas realmente pensam que a mudança de DSLR para sem espelho é tão significativa quanto a mudança de filme para digital.

Por que não vou mudar para as câmeras mirrorless

Os fotógrafos da Sony gostam de pensar que sua câmera tecnologicamente avançada pode vencer uma DSLR em todos os aspectos. Provavelmente pode quando se trata de vídeo, mas eu sou uma fotógrafa, não um videomaker. Uma pergunta que me faço antes de comprar qualquer equipamento é: “O upgrade vai me render mais dinheiro se eu investir nele?”

Isso faz sentido financeiro?

Vamos avaliar o custo de atualização para mirrorless:

Canon EOS R5 custa US$ 3.899 (aqui no Brasil custa R$ 29.399,00), e eu vou precisar comprar duas para ter um corpo de reserva. Então já são quase US$ 8.000 para investir (no Brasil em torno de R$ 60 mil), considerando que não vou comprar lentes novas e vou continuar usando minha lente Canon 70-200mm de 2001 e minha lente 24-70mm de 2006.

Suponha que eu vendesse minhas DSLRs. Isso provavelmente renderia um pouco mais de US$ 3.000. Eu ainda teria que desembolsar cinco mil dólares para um novo sistema de câmera. As compras devem ser justificadas, então vamos ver se as especificações ou qualquer outra coisa fará com que a atualização para mirrorless valha a pena.

Quanto melhor é?

As especificações relevantes para o trabalho de retrato são resolução, profundidade de cor, conectividade, peso, faixa dinâmica.

Para a Canon EOS R5 , são:

Por que não vou mudar para as câmeras mirrorless - Canon EOS R5
  • Resolução : 45 megapixels
  • Profundidade de cor : 25,3 bits
  • Faixa dinâmica : 14,6 EV
  • Peso : 26,03 onças (0,74 kg)
  • Conectividade : USB-C

Para minha Canon 5D Mark IV atual, eles são:

Por que não vou mudar para as câmeras mirrorless - Canon Mark IV
  • Resolução : 30 megapixels
  • Profundidade de cor : 24,8 bits
  • Faixa dinâmica : 13,6 Evs
  • Peso : 31,39 onças (0,89 kg).
  • Conectividade : USB 3.0

Com base nas especificações, o R5 não parece a melhor escolha. Uma escolha ligeiramente melhor. Com base nessas especificações, a 5D Mark IV ainda é uma câmera muito forte que tem um desempenho incrivelmente bom.

Falando por experiência própria, não consigo pensar em um momento em que desejei uma câmera melhor. Claro, a cobertura de foco automático 100% pode ajudar alguns fotógrafos, mas para mim não faz diferença. Eu mantenho a composição simples e fotografo em f/11 na maior parte do tempo, então o foco crítico em f/1.2 não é uma mudança importante para mim.

Uma coisa que é ligeiramente melhor é o peso e o tamanho. Eu aprecio a redução do esforço em minhas mãos, mas essa diferença quase não se percebe. Além disso, levo um tripé para praticamente todas as sessões de fotos que faço.

Como fotógrafo de retratos e moda, o médio formato é algo que não posso evitar. As câmeras de médio formato alugadas são uma maravilha de se trabalhar, mas uma dor de cabeça. Tanto que me acostumei com isso e penso em uma DSLR como a opção mais leve.

Aprendendo Tudo

Deixando de lado as especificações e os pixels, deixe-me mergulhar no que a troca de câmeras pode significar para muitos de vocês, assim como para mim: aprender e ajustar.

Marcas de câmeras vão me odiar por dizer isso, mas, honestamente, a última coisa que quero fazer é comprar uma nova. Não apenas porque é caro, mas também porque provavelmente preciso gastar muito tempo descobrindo e tentando entender onde estão todos os botões e configurações. Claro, a maioria deles está no mesmo lugar, mas para mim, mesmo a menor mudança me retarda em uma sessão. Esses segundos me fazem perder o ímpeto e, em geral, são destrutivos para a criatividade.

Ao fotografar com uma 5D Mark II e IV lado a lado, descobri que estava muito mais lento do que o normal. Lembre-se de que essas são duas câmeras que conheço bem. Gosto de pensar que quanto menos passos eu preciso dar para ser criativo, melhores serão meus sistemas de criatividade. Se tudo que eu preciso criar é ligar a câmera e atirar, isso é uma boa notícia. Se eu precisar mexer nas configurações por dezenas de minutos, isso não é uma boa notícia.

Um ótimo exemplo disso seria Platon, que acredito ainda atira em uma Hasselblad 500 ELM. Essa é a câmera de filme de médio formato alimentada por bateria produzida na década de 1970. O trabalho de Platon é mundialmente famoso e ele não está atualizando pela simplicidade. Ele diz de maneira simples: devido à sua dislexia, coisas complicadas nunca são uma boa ideia. Ser o mais simples possível costuma ser o caminho. Sua luz, suas poses, sua composição e sua câmera são simples e brilhantes.

O retrato de Mark Zukenberg feito pelofotógrafo Platon

Mudar não vai me fazer / você melhorar

Este é um que vejo muito. Repetidamente, vejo o equipamento de câmera mais caro de propriedade de fotógrafos – qualquer coisa desde uma Phase One por US $ 55.000 a uma Leica por US$ 8.000. Pode haver mais megapixels, profundidade de cor e faixa dinâmica no que é produzido, mas não foi um trabalho de melhor qualidade por nenhum estiramento da imaginação.

Claro, dizer que você fotografa com uma Leica trará reputação no seu clube de câmera. Mas você não pode (ou não deve) colocar um logotipo da Leica nas fotos. O único logotipo que você pode colocar em seu trabalho é o seu autêntico estilo . Ser artista é o que faz grandes fotógrafos. Se as pessoas que possuíam mais e / ou os melhores equipamentos fossem sempre os melhores fotógrafos, os proprietários de casas de aluguel seriam imbatíveis. É difícil competir contra um lugar que pode lhe dar US$ 500.000 em equipamentos.

Quando VOU mudar para Mirrorless?

Eu inevitavelmente mudarei para as câmeras sem espelho. O principal motivo provavelmente seria o envelhecimento das minhas DSLRs. A contagem do obturador está aumentando muito rápido para mim, já que eu tiro bastante (felizmente). Além disso, minha lente 70-200mm de 2001 não funcionará para sempre. O mesmo se aplica à minha frota envelhecida de outras lentes DSLR.

Eu acho que faria mais sentido atualizar quando finalmente chegar a hora de dizer adeus de uma vez por todas ao equipamento que não funciona mais ou não pode ser reparado. Como fotógrafo, confio que os reparos estarão disponíveis e acessíveis, não importa onde eu esteja. Se eu não conseguir consertar ou alugar uma lente para meu sistema de câmera, estou com problemas. Quando chegar a hora, vou fazer um upgrade.

Foto: JESHOOTS/Pexels

Uma atualização dessa forma não é uma compra em pânico. É um processo que requer economia, orçamento e previsão deliberados para dar certo. Afinal, é um grande investimento.

Concluindo, eu diria para quem quer fazer um upgrade agora: mirrorless é o futuro, mas não é o presente. Não houve uma câmera ruim desde 2009. O que você tem é muito mais do que lendas da fotografia como Irving Penn, Robert Capa e Richard Avedon tinham. Você pode tirar ótimas fotos com o que tem, se souber como fazê-lo”, finalizou o fotógrafo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *