De DSLR para Mirrorless: Vernaglia conta sobre a migração

As câmeras mirrorless têm tomado o mercado mundial, com vendas acima das DSLR e ao poucos tornando-se mais comuns entre fotógrafos e produtores de vídeo. Nosso colunista Armando Vernaglia Jr. conta alguns motivos que o fizeram migrar para mirrorless, as câmeras sem espelho.

Escolher uma câmera nem sempre é fácil. Neste episódio, procurei contar um pouco dos motivos que me levaram a migrar de câmeras DSLR para as sem espelho, ou mirrorless. Veja no vídeo:

Equipamentos usados neste episódio: Câmera Samsung NX3000, lente Samsung 16-50 (kit), abertura f5.6, tempo de exposição de 1/30s, ISO3200 – note o ruído acentuado no vídeo da dica, mas a introdução, gravada em ISO1600 apresenta bem menos interferência, o que indica que essa câmera vai muito bem em ISO1600, mas em 3200 a qualidade fica um pouco comprometida – auto foco ligado (single), face detect desligado, foco contínuo desligado, estabilizador de imagem desligado.

Mesmo assim ao longo do vídeo é possível ver a câmera caçando foco várias vezes, o que me levou a gravar a introdução avisando sobre o efeito no vídeo. Na introdução o autofoco foi totalmente desligado e o foco feito manualmente, o que resolveu o problema. Tripé Manfrotto 190Pro e gravador Zoom H4N.

A NX3000 é uma boa câmera para uso não profissional, com 20 megapixels, alcance dinâmico pouco acima de 11 pontos, capaz de gravar arquivos RAW, ótimo desempenho até ISO1600 e bem aceitável em 3200, é seguramente uma boa câmera para passeios, viagens, ensaios fotográficos ocasionais, ou para quem está estudando e quer um equipamento capaz de gerar boas imagens e que tenha todos os comandos manuais. Mas não é em meu modo de ver uma ferramenta profissional, aí falaremos da Sony A6000, uma máquina pronta para o uso exigente e pesado. Falamos dela no próximo episódio e artigo 🙂

Quer conhecer mais do meu trabalho? Veja meu site: www.vernaglia.com.br
Nos vemos por aí! Até o próximo episódio.

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Penso justamente em adquirir uma Sony A6000, estou a pesquisa-la e analizar a qualidade da imagem e como a mudança influenciou no ‘workflow’ de alguns fotógrafos faz +- um mês, agora procuro entender também como os filmmakers lidam com gravação de video e audio com ela junto a outros equipamentos e os prós e contras disso. Até o momento estou bem otimista quando a iminente mudança, o que me deixa mais confiante para dar esse passo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *