5 pintores para inspirar a criação de suas fotos

Recentemente, compartilhamos aqui filmes aos quais todo fotógrafo deveria assistir para inspirar a sua fotografia. Assim como o cinema, a pintura aumenta a nossa bagagem cultural, porém, nem sempre prestamos atenção ao que elas podem nos mostrar. Telas famosas são, sem dúvida, uma fonte ilimitada de recursos, inspirações e referências. Cada artista tem a sua própria individualidade criativa, mas quem conhece a perspectiva e a luz através dos grandes pintores da história, provavelmente vai saber como aproveitar melhor a sua técnica de compor imagens. Leia também: https://iphotochannel.com.br/7-tipos-de-iluminacao-para-retratos.

Embora muitos fotógrafos usem pintores como referência, hoje nem todos tentam adaptar as técnicas utilizadas em pinturas famosas nas suas fotografias. Quando falamos de luz, o barroco é sempre o mais lembrado, mas há outras tendências contemporâneas a serem exploradas. Trazemos nesta primeira parte, cinco pintores para inspirar suas fotografias:

1. Rembrandt

Pinturas Rembrandt

O pintor holandês, conhecido como o mestre da luz,  foi um dos maiores pintores da era Barroca, época em havia uma obsessão dos artistas pelo domínio da luz. Os pintores exploravam os contrastes entre luz e sombra, fazendo com que o clima da pintura se tornasse mais leve, embora aumentasse a dramaticidade da cena. O esquema unilateral de iluminação utilizado por Rembrandt valorizava as expressões faciais dos personagens e hoje é um dos tipos de iluminação mais utilizados por fotógrafos de moda e retratistas. A Luz Rembrandt, como ficou conhecida, é caracterizada por um pequeno triângulo posicionado lateralmente a 45 graus da linha dos olhos e um leve escurecimento no lado oposto da face do modelo.

A técnica está visivelmente aplicada no retrato da atriz Scarlett Johansson pela dupla de fotógrafos de moda Inez & Vinoodh:

Esquema Iluminação Rembrandt

2. Diego Velázquez

pintura Diego Velázquez

Não poderíamos continuar essa lista sem mencionar um dos pintores mais sensacionais da história da arte. As obras de Diego Velázquez são ricas em volumes e ensinam como aproveitar adequadamente o uso dramático da luz lateral, da perspectiva e inteligência composicional.  A sua obra As Meninas, além de ser uma das mais intrigantes por séculos, ensina como incluir, dispor e harmonizar os personagens magistralmente em um retrato.

3. Edgar Degas

Pintura Edgar Degas

Uma das mais marcantes características do francês é a suavidade de suas obras. Ele costumava usar bastante os tons pastel na primeira fase de sua vida artística, passando a utilizar tons mais vibrantes somente na década de 1860. O movimento de suas pinturas também é algo para se prestar atenção: ele usava bailarinas como pretexto para reproduzir o movimento fluido, gostava de representar cenas do cotidiano e de utilizar enquadramentos casuais, concentrando o assunto em alguma parte do quadro, em vez de os dispor equilibradamente. Sua obra Família Bellelei traz uma composição bastante ousada: posturas anticonvencionais e personagens focalizados num momento de intimidade, com expressões sutis.

Abaixo, fotografia La Foie, da italiana Giulia Pesarin, inpirada em Degas:

4. René Magritte

Pintura René Magritte

O pintor surrealista é um nome de referência na fotografia contemporânea por suas obras provocadoras, espirituosas e que desafiam as percepções do observador. Diversos fotógrafos, designers e arquitetos se influenciaram no pintor cerebral, principalmente na sua famosa obra Os Amantes.  Ele praticou o surrealismo realista, com uma nitidez tão impressionante que chega a se confundir com a realidade. Um quadro de Magritte é um objeto de reflexão: o sentido está muitas vezes escondido e é alvo de segundas, terceiras e quartas interpretações. Ele desenvolveu uma produção artística metafísica que apresentava objetos e elementos comuns dentro de contextos inusitados.

A equipe do blog da jornalista Lilian Pacce criou uma produção de moda surrealista que resgata elementos de sua obra e uma atmosfera metafísica com apenas dois modelos e muitos lenços. Confira abaixo:

5. Pablo Picasso

Ao falarmos de cubismo, automaticamente lembramos do pintor espanhol considerado um dos maiores artistas do século XX e cofundador desse movimento artístico. Ele também desenvolveu esculturas, desenho, cerâmica, poesia e passou por diversas fases artísticas em sua vida, mas o cubismo é a mais marcante.  Nas pinturas cubistas, os objetos são quebrados e remontados de modo abstrato, destacando suas formas geométricas compostas e descrevendo-os a partir de vários pontos de vista simultâneos.

Um dos fotógrafos influenciados pelo movimento foi Andre Kertész. Ele iniciou a sua carreira como fotógrafo de rua, registrando a vida cotidiana, mas seus temas são muito variados e todos eles instigam a curiosidade visual na hora de encontrar novas perspectivas das coisas mais comuns.

Pintura Pablo Picasso

A lista de nomes a serem lembrados é ampla, os quais continuarem a abordar em uma série. Em suma, quanto mais referências você tem, mais fácil fica experimentar e desenvolver o seu processo de criação. Analisar e procurar entender melhor movimentos artísticos e técnicas utilizadas por famosos pintores irá abrir seus olhos para um mundo de possibilidades fotográficas.

Texto: Suellen Figueiredo

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *