Dicas de Fotografia Retrato

7 dicas fundamentais para fotografar pessoas na rua

Fotografia de rua é um prazer que cobra muito pouco. Você precisa de uma câmera apenas, e um olhar atento. Se estiver olhando para o lugar certo, poderá obter um flagrante e tanto. Mas muitos fazem disso um exercício um pouco mais sofisticado e se põem a viajar com o objetivo de desvendar outros mundos – mesmo que o limite dessa nova realidade seja o limiar da porta de um desconhecido.

Viajante ou não, quem fotografa na rua encontra nas pessoas um motivo fascinante para fotografar. E você pode ficar à distância, amparado pelo conforto de um belo zoom, “surrupiando” fragmentos da vida alheia, ou pode olhar as pessoas de frente. Olho no olho. Se assim o fizer, poderá dizer: “Sim, eu sou um retratista”.

Mas fazer retratos ao natural, na rua, não é algo desprovido de regras. Não é como dar um disparo ao acaso e sumir, feito um apache em filme de faroeste. Pois um retrato clássico exige o calor humano, a interação com o outro, o alvo da sua foto. Exige troca.

Pedimos para o fotógrafo Luciano Moreira, especialista em retratos e fotografia de rua, para compartilhar algumas dicas:

1. Vestir-se para fotografar: A dica número um está voltada à forma de se vestir ao sair para fotografar. Quando você vai fotografar na rua, fotografar pessoas que você não conhece, é sempre interessante apresentar uma boa aparência, tendo em vista que você precisa demonstrar credibilidade.  Não quero citar o que você deve ou não vestir, isso é algo muito pessoal e varia de acordo com o local onde você se encontra, mas ter bom senso com relação a isso é fundamental.

2. Ser visto ou não ser visto: Temos duas possibilidades ao fazermos “retratos de rua”: podemos fazer retratos sendo vistos ou tentando não sermos vistos. Minha preferência é fazer retratos sendo visto. Nestes eu percebo mais força e expressividade, o focar nos olhos traz maior realismo e emoção para a imagem.

3. Não ter medo do “não”: Quando estamos fotografando nas ruas e queremos fotografar alguém que nos chamou a atenção, não podemos ter medo de levar um “não”. Eu sempre penso que teremos duas possíveis respostas: ou nós teremos um “sim” ou teremos um “não”. O que não podemos é deixar de abordar alguém que se encaixa dentro do que estamos buscando para fotografar pelo simples medo de levar um “não”.

4. Abordagem: Ao abordar alguém que você deseja fotografar, tente ser direto, não faça rodeios, mostre objetividade e segurança. Normalmente as pessoas perguntam o motivo pelo qual você está querendo fotografá-las.  Seja claro em sua resposta, afirme ser fotógrafo e exponha o objetivo que o levou a querer fazer aquele retrato.

5. Observar a luz: Antes de fazer o retrato, sempre observe as condições de luz do ambiente e posicione a pessoa a ser fotografada nos lugares de melhor luz que você tiver à disposição naquele momento.

6. Lente: A lente usada ao fazer retratos pode influenciar muito no resultado final. Lentes com maior abertura nos trazem belos efeitos, tendo em vista que uma maior abertura nos proporciona uma menor profundidade de campo e, assim, um belo bokeh [desfoque] em segundo plano, o que ressalta a imagem da pessoa fotografada.

7. Amor, coragem e entusiasmo: Fotografia é amor, dedicação, vontade de buscar a melhor imagem. Os “retratos de rua” não podem ser diferentes disso. Precisamos ter amor, coragem e entusiasmos para buscá-los. Os resultados sempre nos surpreendem.