Tendência

Qual a melhor lente para retratos: 85mm, 105mm ou 135mm?

Qual a melhor lente para retratos? | Foto: Pexels

Qual a melhor lente para fotografar retratos? Esta é uma pergunta que gera muito debate. Mas chegaremos perto de uma resposta partindo do princípio que a melhor lente será aquela com menor distorção do modelo. Já falamos aqui sobre as distorções que provocam cada tipo de objetiva, a partir de cada distância focal. Dependendo da distância focal (ou seja, os milímetros da lente – ex: 50mm), você pode até “emagrecer” alguém.

O fotógrafo Matt Granger escolheu 3 distância focais para a fotografia de retratos e discursa sobre cada uma no vídeo abaixo. São as objetivas 85mm, 105mm e 135mm. A qualidade final da foto é claro que dependerá de vários fatores, como a qualidade ótica da lente, o sensor da câmera, a ilusão de compressão de planos e outros detalhes. No vídeo, ele fala especificamente de como as distâncias focais influenciam na imagem do modelo.


No vídeo ele ressalta que não está falando da qualidade das lentes, e sim da distância focal, mas para saber, ele usa as seguintes objetivas: 85mm f/1.4 G da Nikon, 105mm f/2 D Series da Nikon e Zeiss 135mm f/2.0 Apo Sonnar T* ZF.2.

Qual a melhor lente para retratos: 85mm, 105mm ou 135mm?
Qual a melhor lente para retratos: 85mm, 105mm ou 135mm?

E qual o resultado? De acordo com Matt Granger, por mais que ele seja um grande de 85mm, em 135mm o resultado é muito melhor no quesito menor distorção da silhueta e detalhes da modelo. Matt utiliza as lentes em uma câmera full-frame Nikon Df.  E para você, qual é a melhor distância focal para retratos? Qual sua lente favorita para este tipo de fotografia?

iphoto-melhor-lente-para-retrato-85mm-105mm-135mm (1)

Artigos relacionados

13 Comentários

  1. A linha editorial desse site (apesar de seguir a regra atual, me surpreende muito. É uma incógnita para minha compreensão.

    Eu milito em outras causas fora da fotografia e percebo que é importante se seguir uma linha definida de opinião como forma de contribuição e informação, porém conteúdos ligados a fotografia, na minha concepção se mostram um amontoado de publicações sem sentido e desconectas entre elas quanto a definição (que não existe) de objetivos e linha editorial.

    Como vivemos tempos de relativização e falta de nexo que geram construções e ações de mercado, sem sustentabilidade, a não ser no ambiente em que são geradas, esse modelo editorial é até compreensivo, mas, como disse, relativista e prima pela quantidade, não pela qualidade.

    Isso posto, o post em questão é o oposto do que se dissemina na internet na forma de artigos, qual seja, que o que faz a fotografia é o fotografo, não o equipamento.

    Conclui-se e está implícito neste argumento que uma rebel com lente do kit ou algo que valha é o suficiente para fotógrafo. Também se lê aqui e fora, criticas a equipamentos de qualidade, a equipamentos grandes, a equipamentos caros.

    Se lê ainda criticas severas contra a regulamentação da profissão de fotografo quando é nítida a decadência do mercado da fotografia comercial.

    Pra mim é difícil entender porque o conteúdo, na condição de quantidade, pode gerar mais interesse que o conteúdo de qualidade com linha editorial definida o objetivo claro, seja ele qual for.
    Estamos andando para trás, isso é fato, infelizmente!

    1. Olá Paulo.
      Não entendi o motivo para você estar tão confuso. A linha editorial é clara: trazemos dicas pontuais para fotógrafos iniciantes e intermediários, novidades sobre lançamentos de equipamentos, curiosidades sobre a história da fotografia e a fotografia em geral.

      Se você acompanha o iPhoto Channel por pelo menos uma semana, isso ficará já bem claro. Como diz a descrição do site: “Dicas para você aprender e melhorar sua fotografia”

      Em relação à matéria, não dizemos em nenhum momento que o que faz um fotógrafo é o equipamento. Isso foi questão da sua interpretação, na verdade. Afirmamos o exato oposto, até mesmo em outras matérias, que é até mesmo óbvio: quem faz a fotografia é o fotógrafo, independente do equipamento. Até com uma pinhole é possível conseguir uma grande foto.

      Pontualmente quisemos mostrar como cada distância focal se comporta na hora de criar um retrato. Isto é algo técnico importante de se saber, um conhecimento que servirá de ferramenta na hora de criar a imagem.

      Em relação à quantidade, somos um dos sites de notícias sobre fotografia que menos faz postagens diárias. Prezamos justamente pela QUALIDADE das pautas e do conteúdo, não quantidade.

      Convido você a nos acompanhar com maior assiduidade para então entender a linha editorial, caso este seja seu desejo.

      Abraço!
      Ruca Souza

    2. Paulo, não está dando para entender é sua confusão.

      Achei valiosas as dicas quanto aos resultados apresentados com diferentes distâncias focais e quero aproveitar a oportunidade para deixar clara uma posição:

      SOU TOTALMENTE CONTRÁRIO À REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO.

      o que deve “regulamentar” uma profissão que não oferece riscos de vida relativos ao seu exercício É O MERCADO.

      abs

      Carlos Koehler

  2. Acho que qualquer materia sobre lentes e distancias focais, antes de tudo deve separar os 2 tipos de camera/sendores mais comuns. Full frame e Aps-C.
    Depois disto, abordar as lentes pra cada caso.
    Nao tem como colocar as duas no mesmo “pacote”.

  3. Será que cheguei no fim da festa ?… Por vezes discordo de uma ou outra abordagem e em algumas ocasiões até complemento algumas informações da Ruca. Só não consegui entender o motivo do protesto que, mesmo sendo válido já que estamos numa democracia, não conseguiu explicar a que veio. O site tem mantido um padrão equilibrado no sentido de informar, que é, sem dúvida a sua principal razão. Bola prá frente Ruca !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *