Tendência

Projeto fotográfico mostra o que o “amor” significa para pessoas com Síndrome de Down

O amor não tem limites e a fotógrafa Hilary Gauld capturou isso em uma série de retratos que mostra os relacionamentos de pessoas com síndrome de Down. O projeto fotográfico, intitulado Love Means, busca conscientizar e dissipar os equívocos sobre as pessoas com o distúrbio genético.

Hilary trabalhou com a Sociedade Canadense de Síndrome de Down (CDSS) e buscou algumas “histórias de amor” de diferentes portadores de síndrome de Down que estavam num relacionamento com alguém ou com expectativa de encontrar seu amor. Um pouco da história de cada casal ou pessoa está na legenda das fotos abaixo.

Projeto fotográfico pessoas com Síndrome de Down
“Depois de se conhecerem na escola onde trabalham juntos, Greg e Brie aumentaram seu relacionamento. 
O casal, que ficou noivo em setembro passado, está animado para se casar e morar junto. 
Eles realmente gostam de assistir filmes, especialmente comédias, e se aconchegar no sofá. 
Eles esperam que a pandemia termine para que possam mais uma vez sair com seus amigos às sextas-feiras.”

É incomum ver representações de amor romântico na comunidade da síndrome de Down – algo que Love Means espera mudar. “Nossas campanhas visam sempre a conscientização sobre a síndrome de Down”, explica Laura LaChance , Diretora Executiva do CDSS. “Eles também ajudam a apoiar soluções para problemas enfrentados por indivíduos com síndrome de Down. Neste momento, há uma enorme falta de consciência e compreensão sobre as vidas completas que as pessoas com síndrome de Down vivem e sobre a gama de emoções que elas experimentam. Este trabalho vai mudar a narrativa pública.”

“Ter a oportunidade de conhecer esses casais e indivíduos, ouvir suas histórias e observar suas interações significou muito para mim. Ser capaz de capturar o amor deles pelo mundo e abrir mais espaço para outras histórias de amor na grande mídia foi minha inspiração”, disse a fotógrafa ao site My Modern Met.

Projeto fotográfico pessoas com Síndrome de Down
“Kirk e Beth se conheceram no WALES (Working Adults Learning Empowering Skills), aproveitando os almoços de quinta-feira juntos no William’s Café como amigos, até 12 anos atrás no Dia dos Namorados, Beth convidou Kirk para sair.  Agora eles têm encontros em casa (que foram dificultados pelo Covid) e gostam de fazer quebra-cabeças, caça-palavras, jogar Skip-Bo e sair para almoçar juntos. 
Uma de suas memórias favoritas é dançar lentamente juntos em um grande baile.”

As pessoas apresentadas no projeto destacam os diferentes tipos de afeto que chamamos de amor. “Minha esperança é que essas histórias e imagens simplesmente inspirem, eduquem e criem o espaço para uma maior visibilidade das experiências que adultos com síndrome de Down navegam, incluindo o amor.”

Projeto fotográfico pessoas com Síndrome de Down
“Após o primeiro encontro no futebol, Paige e Tyler também acabaram indo para a mesma escola juntos. 
Como casal, algumas de suas coisas favoritas para fazer são jogar hóquei juntos, jogar golfe e se beijar no quarto dela. 
Eles sonham em se casar e se mudar para uma casa ou apartamento juntos.”
“Depois de estar no mesmo time para um evento de arrecadação de fundos da Motionball em 2013, faíscas voaram. 
Este casal de noivos espera comprar uma casa grande, se casar e ter filhos juntos algum dia. 
Eles não se viam regularmente durante o Covid, mas mensagens diárias e bate-papos por vídeo os ajudaram a permanecer próximos enquanto se mantinham seguros. À medida que as restrições aumentam, Tatem está animado para ver Michael jogar hóquei novamente em breve.”
“Como uma mulher solteira, Naomi adora passar o tempo com os amigos, assistir filmes e praticar esportes como ginástica rítmica, natação e esqui alpino. Ela sonha em estar na moda ou ser modelo e celebridade. Naomi adoraria conhecer alguém com síndrome de Down que não tem sardas, é mais alto que seu irmão (1,93m), se veste mais moderno que seu pai e é um pouco bobo. Quando ela conhece um parceiro, ela espera se casar e ir para Paris com ele”.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.