Opinião

A fotografia é um antidepressivo

Foto: Craig Skinner
congresso de fotografia

Considerada o “mal do século” pela Organização Mundial da Saúde, a depressão é uma doença que pode afetar as pessoas nas mais diferentes situações. Para o fotógrafo de paisagem Craig Skinner, a fotografia funciona como uma maneira de manter a mente saudável. Em artigo publicado no site PetaPixel, ele conta como a fotografia oferece uma fuga criativa que geralmente não está disponível no dia a dia.

“Essas escapadas criativas podem ser muito mais satisfatórias do que apenas desfrutar de algumas cervejas ou do Netflix”.

“Mesmo que por apenas um minuto ou dois em um dia, é uma chance de se concentrar em algo criativo. Para se concentrar em fazer algo bonito, não porque você precisa, mas porque você quer. Saber qual pode ser o resultado final pode colocar um sorriso no meu rosto antes mesmo de eu tirar a câmera. Todos os aspectos da fotografia permitem que você esqueça todo o resto; as tensões e pressões da vida.

Você pode se perder explorando uma área à procura de um local – na montagem do seu equipamento e nos rituais que vêm com isso (todos nós temos uma maneira que gostarmos de montar nosso equipamento). Desembalando a câmera, selecionando a lente certa para a foto (talvez pesando os prós e contras de cada uma em sua mente), foco, ISO, velocidade do obturador. Ao encontrar a composição certa, basta mover a perna do tripé um pouco.

Mesmo os processos que entram no pós-processamento podem ajudar a desestressar e relaxar.

Depressão e saúde mental precária podem se infiltrar em sua vida sem que você perceba. E todos somos suscetíveis a isso.

Eu sempre achei que sair ao ar livre, aproveitando qualquer situação que eu esteja fotografando, e então também focar nos detalhes técnicos da cena e capturar a imagem pode realmente ajudar a diminuir esses pensamentos negativos e sentimentos baixos e quase agir como um reset mental.

Às vezes, a fotografia pode ser uma experiência solitária, mas tento virar isso de cabeça para baixo e aproveitar o fato de que estou no controle do que estou fazendo e de que não há distrações externas. Sentado em uma colina no meio da noite, olhando para as estrelas, com a antecipação do que eu poderia capturar é um sentimento muito calmante. Isso me permite estar no momento e realmente apreciar o que estou fazendo.

Voltar para casa com histórias para contar e imagens para compartilhar dá uma enorme sensação de satisfação. Eu acho que não estar deprimido não significa que você está feliz e dançando com um sorriso no rosto, mas talvez apenas que você esteja satisfeito com o que você tem naquele momento.”

Para conhecer mais sobre o trabalho de Craig, acesse seu site, Facebook ou Instagram.

Sobre o autor

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto é natural de Belo Horizonte, é bacharel em Artes Plásticas com habilitação em Fotografia e pós-graduando em Jornalismo Digital. Atua como Fotógrafo, Professor e Programador Visual.

2 comentários

Clique aqui para postar um comentário















error: Content is protected !!