Lomografia: foto com jeito de nostalgia

A nostalgia sempre fez parte da natureza humana. Aquele autorama que lembra nossa infância, aquele lugar que nos traz um sorriso, o cheiro da comida da avó e outras tantas coisas. Todos temos nossos momentos felizes. A nostalgia também faz parte da fotografia, com o nome de Lomografia.

A palavra deriva da Lomo, uma câmera russa de filme que cria ruídos, granulações e imperfeições na imagem, no que pode ser visto como defeito por alguns e como arte por outros. As câmeras lomográficas são feitas geralmente com lentes de plástico, buscando render o mesmo efeito que as russas, saturando suas cores e dando a impressão de que a fotografia ficou mesmo foi guardada numa caixa de sapatos nas últimas duas décadas.

Mania entre os jovens, as toy cameras, como são chamadas as câmeras com lentes de plástico, viraram tendência nas mãos de fotógrafos que buscam um olhar artístico e nostálgico para seus cliques. Para você que está querendo entrar nesse mundo, o mercado dispõe de câmeras de diversos formatos, cores, lentes e com valores que vão se adaptar ao seu bolso. Como a maioria das lomos são feitas de plástico, o valor é bastante baixo. Sem muito segredo: é imaginar, enquadrar e clicar.

Abaixo, algumas das câmeras mais clássicas:

FISHEYE: como o próprio nome diz, clica imagens com uma lente “olho-de-peixe”, aquela que arredonda as bordas.

 

ACTION SAMPLER: Com duas ou mais lentes, a Action Sampler permite que cada quadro da foto fique milésimos de segundo à frente do quadro anterior, criando assim um disparo sequencial.

 

LOMO: a clássica russa em formato modernizado, criando o mesmo resultado nas imagens.

 

DIANA: criada na década de 1960 pelos chineses, a Diana busca o resultado clássico, permitindo inclusive a múltipla exposição (quantas fotos quiser, uma em cima da outra).

 

HOLGA: com fotografias parecidas com a Diana, a Holga, que também é chinesa, permite a múltipla exposição e a famosa “vinheta” (aquela bordinha mais escura em volta da foto).

 

LOMO KINO: “kino”, do alemão, cinema. Isso mesmo, uma lomo que filma. Como se fosse a famosa Super 8: você gira a manivela, criando quadros contínuos, fazendo assim uma película com movimentos seguidos, que quando colocados em sequência viram um pequeno filme.

 Para saber mais:

Lomography

Toy Camera

*Artigo originalmente publicado no blogue da editora Iphoto

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *