Concurso de Fotografia

Inscrições abertas para concurso latino-americano de fotografia documental

Estão abertas as inscrições para o 26º Concurso Latino-Americano de Fotografia Documental. As inscrições são gratuitas e podem participar fotógrafos amadores e profissionais. O prazo para inscrições é até 18 de setembro. O tema das fotografias deve ser sobre as pessoas fazendo algum tipo de trabalho ou comércio, principalmente, sobre os efeitos causados pelo coronavírus.

Foto: Paulo Pinto

“Nesta edição, convidamos especialmente os fotógrafos a enfatizar as consequências trabalhistas da pandemia na América Latina, incluindo aspectos como confinamento, reinvenção do trabalho, teletrabalho, subemprego, informalidade, precariedade, migração e o desemprego”, dizem os organizadores no site oficial do concurso, que possui 4 categorias específicas para abordar o tema: Mulheres trabalhadoras, Homens trabalhadores, Trabalhos de Saúde e Trabalho doméstico (veja no final do post os detalhes e características das fotos). Os vencedores de cada categoria ganharão um prêmio de US$ 750.

Foto: Brunno Covello

NÚMERO DE FOTOS E SÉRIES
Cada concorrente tem o direito de enviar no máximo cinco (5) trabalhos no total, sejam fotos individuais ou séries. Se você deseja participar de várias categorias, pode distribuir as 5 obras como preferir. Lembre-se que uma obra pode ser uma fotografia individual ou uma série de no máximo 5 imagens.

INSCRIÇÃO
A inscrição das obras é gratuita. Apenas imagens digitais são permitidas, entendendo por estas, imagens que venham de uma captura com uma câmera digital ou que tenham sido escaneadas de negativo ou papel. Os concorrentes somente poderão inscrever suas fotografias online, podendo se inscrever no site http://concurso.ens.org.co até o dia 18 de setembro de 2020.

AS IMAGENS
As imagens podem ter sido publicadas. Podem ter processamento digital ou algum tipo de edição, desde que a obra mantenha sua natureza documental, não deve ter marca d’água. Não há restrições quanto à data em que as fotografias são tiradas. As fotos de cada categoria devem seguir as seguintes orientações:

CATEGORIA “MULHERES TRABALHADORAS”

Devem ser enviadas fotografias que documentem a presença laboral de mulheres na América Latina. Recomendamos colocar ênfase nas consequências do COVID para o emprego. Esta categoria busca investigar quais são os novos empregos que as mulheres estão desempenhando, de que forma estão ingressando no mundo do trabalho. Recomendamos que os fotógrafos estudem bem o ofício e a abordagem inovadora do que vão enviar, uma vez que existe uma recorrência de estereótipos que vinculam as mulheres apenas aos empregos físicos e informais. É uma categoria para surpreender. A narrativa do contexto e a história dos personagens são importantes.

CATEGORIA “HOMENS TRABALHADORES”

Devem ser enviadas fotografias que documentem a presença laboral de homens na América Latina. Recomendamos colocar ênfase nas consequências do COVID para o emprego. Nesta categoria esperamos receber fotografias de jovens, adultos e idosos em contextos de trabalho. A narrativa do contexto e a história dos personagens são importantes.

Foto: Gary Manrique Robles

CATEGORIA DE TRABALHOS DE SAÚDE

A eclosão da pandemia colocou em risco os trabalhadores da saúde, setor que realiza seu trabalho em condições precárias, tanto em termos de salários como de prevenção à saúde. Convidamos você a documentar a situação do emprego em hospitais, centros de saúde, atendimento ambulatorial, etc. A narrativa do contexto e a história dos personagens são importantes.

CATEGORIA “TRABALHO DOMÉSTICO E ECONOMIA DO CUIDADO”

Este prêmio convida você a enviar fotografias que documentem o trabalho doméstico remunerado e não remunerado realizado no ambiente doméstico e familiar. A OIT tem dado ênfase ao pleno reconhecimento dos direitos trabalhistas das pessoas, sejam elas mulheres ou homens que realizam atividades remuneradas em casa. Para tanto, a OIT editou a Convenção 189 de 2011. Mas assim como pedimos a documentação do trabalho remunerado, também o convidamos a fotografar os trabalhos domésticos não remunerados, vinculados ao sustento e reprodução de seus membros, no ocorrido em chamar “Economia do Cuidado”. Abrange atividades como cuidar de crianças, idosos e pessoas com deficiência, bem como logística de alimentação e higiene, etc. O trabalho de cuidar muitas vezes vai além da esfera doméstica, envolvendo os espaços de assistência social, saúde e educação. A narrativa do contexto e a história dos personagens são importantes.