Fotografia de rua

Primeiros passos para se tornar um fotógrafo de rua mais confiante

Foto: Frederik Trovatten
Livro de fotografia

A fotografia de rua pode ser algo desafiador, mesmo para fotógrafos já experientes em outros segmentos. Assim como acontece com todo tipo de fotografia, se você é iniciante, tem a opção de estudar até que esteja pronto para experimentar ou simplesmente se jogar. Foi exatamente isso que Frederik Trovatten, um apaixonado fotógrafo de rua dinamarquês que vive na Cidade do México, fez.

Muito trabalho duro

Um dia, Trovatten estava em um pequeno barco em Xochimilco, a 40 minutos de carro de sua atual residência na Cidade do México, aproveitando um dia com sua mãe, que veio da Dinamarca para visitá-lo, quando um casal idoso atraiu seu olhar.

Se você quer levar a fotografia de rua à sério, tem que estar pronto para processar esses momentos muito rapidamente e ser capaz de tirar uma foto, mesmo que nem sempre seja tecnicamente perfeito. Trovatten tirou uma foto do casal com a câmera do seu celular, pois não procurava a fotografia na época e percebeu que as cenas de rua poderiam ser apenas algo que o interessasse o suficiente para tentar fotografar.

Foto: Frederik Trovatten

Depois de alguns meses buscando ativamente oportunidades fotográficas na Cidade do México, Trovatten comprou sua primeira câmera, uma Ricoh GR II, pequena e discreta, que funcionava bem com o seu estilo, que foi seguida pela igualmente compacta Fuji X100F, seis meses mais tarde. Para ter uma saída muito clara para sua recém-descoberta paixão e suas novas câmeras, Trovatten decidiu começar um projeto 365, apresentando uma nova imagem todos os dias durante um ano, o que também lhe permitiria aprender mais sobre suas câmeras e como usar seus recursos ao máximo.

Foto: Frederik Trovatten

Ter um objetivo claro como esse lhe dá uma estrutura do que é esperado e faz com que você se concentre em melhorar seu trabalho por meio das horas que você investe nele, em vez de procurar novas idéias ou fotografar sem pensar. Se você sabe o que espera do seu projeto, tudo o que você precisa fazer é pegar sua câmera, sair e começar a fotografar. Essa ideia é reiterada por Trovatten, citando Ira Glass, o fundador da This American Life:

“A coisa mais importante que você pode fazer é fazer muito trabalho. Faça um enorme volume de trabalho. É apenas por meio de um volume de trabalho que você realmente alcança e fecha a lacuna entre o seu gosto e suas habilidades.”

Observe e aprenda, não se intrometa

Tornar-se consciente de seu entorno e observar a cena ao seu redor, em vez de correr impacientemente, é algo que Trovatten aprendeu cedo em sua vida familiar. Sendo um irmão mais novo de dois anos, Trovatten frequentemente se via ouvindo e recebendo as informações ao seu redor enquanto seu irmão falava. Tomar o que está ao seu redor é algo que você pode praticar toda vez que sair; Não sinta que precisa correr de um local para outro. Em vez disso, reserve um tempo para ficar mais atento ao que você está fazendo e por quê.

Foto: Frederik Trovatten

Lidando com rejeição

Se você nunca esteve envolvido em fotografia social antes, descobrirá rapidamente que lidar com o público em geral também significa que haverá momentos em que estranhos reagirão negativamente e você sofrerá rejeição. Não leve isso para o lado pessoal, porque em qualquer setor ou trabalho em que você se depara com estranhos, isso ocorrerá em algum momento e, como Trovatten observou, “o medo da rejeição é geralmente muito pior do que a própria rejeição”.

Foto: Frederik Trovatten

Da mesma forma que você gastaria tempo trabalhando em suas habilidades de composição e tempo, aumentar sua capacidade de lidar com o público é muito importante para a fotografia de rua. O medo de rejeição pode atrapalhar sua vontade de experimentar composições interessantes ou evitar que você converse com estranhos que possam lhe apresentar uma boa oportunidade para tirar fotos. Mas não se sinta como se estivesse sozinho, porque muitos de nós ainda se sentem nervosos quando se relacionam com estranhos na rua. Tudo se resume em praticar.

Desde que iniciou seus esforços na fotografia de rua, Trovatten encontrou um bom envolvimento no Instagram, onde compartilha seu trabalho de rua, e seu site pessoal apresenta não apenas seu trabalho documental de rua, mas também vários recursos de aprendizado e ferramentas. Para inspirar o resto de nós, Trovatten nos deixa com pensamentos sobre superar o medo na fotografia de rua:

“Eu tenho mais medo de ter medo de tirar a foto que está na minha frente e não me tornar o fotógrafo que eu quero ser do que ser rejeitado por alguém que me aproximo na rua.”

E você, achou a fotografia de rua um gênero desafiador?

Fonte: Fstoppers

Sobre o autor

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto é natural de Belo Horizonte, é bacharel em Artes Plásticas com habilitação em Fotografia e pós-graduando em Jornalismo Digital. Atua como Fotógrafo, Professor e Programador Visual.

Adicionar um comentário

Clique aqui para postar um comentário