Artigo Casamento Thiago Lara

Por que prefiro ser segundo fotógrafo

Fotos: Thiago Lara
congresso de fotografia

Quem me conhece, sabe que não gosto de fechar eventos sociais. Lidar com o cliente, assinar contrato, editar fotos, reeditar fotos, diagramar álbuns… essas coisas não são a minha praia. Faço? Faço, sim! Às vezes, vem uma boa vontade do céu e eu passo madrugadas editando fotos. Mas isso passa, e nos outros 365 dias eu não quero ter essa dor de cabeça.

Porém, às vezes, um amigo ou outro me chama para ser segundo fotógrafo. E todas as vezes em que fui segundo fotógrafo me senti muito melhor do que sendo o fotógrafo principal. Vou listar algumas das vantagens aqui e depois falo a respeito – lembrando, claro, que todas as informações são dadas a partir da minha experiência e da maneira como eu trabalho. Se você (contratante ou frila) trabalha de modo diferente, gostaria de  saber a sua opinião. Por isso, peço que a coloque nos comentários abaixo. Afinal, este espaço é de aprendizado. Quanto mais discutirmos o assunto e quanto mais informações tivermos, melhor. Dito isso, vamos lá:

– Como segundo fotógrafo você fica mais livre para criar: Sim, você não tem sobre seus ombros a responsabilidade de ter as fotos “padrão”.

– Como segundo fotógrafo você não precisa nem saber o nome dos noivos: Não me entenda mal, sei que quanto mais informações você tiver, melhor, mas, como segundo fotógrafo, você pode chegar na hora do casamento e ir embora depois dele sem trocar uma palavra com os noivos – e isso é ótimo. Existem noivos e noivos, né?

iPhotoChannel_ThiagoLara_3

– Como segundo fotógrafo você trabalha menos: Pense numa trabalheira! É um casamento, você precisa prospectar e vender seu trabalho, fazer (geralmente) reunião com os noivos, mostrar o seu trabalho – e precisa “vender” –, fazer contrato, negociar preço (ou não) e mais isso e aquilo… Aí tem o dia da festa, nada pode dar errado e você fica naquela tensão, e um bom tempo depois da festa a noiva ainda não escolheu as fotos, o prazo passou e ela pede um monte de alterações, e mais edição e diagramação e (ufa!) a entrega o álbum! Se não der nada errado, acabou. Mas sempre pode ter um “mas”…

Como segundo fotógrafo você vai lá, faz as fotos e vai embora.

Depois desses motivos você pode estar pensando: “O cara não quer é ter responsabilidade!”. Porém, a responsabilidade com as fotos é a mesma do primeiro fotógrafo. Aliás, você precisa superá-lo. Sendo segundo fotógrafo, você tem a cabeça muito mais livre, então é seu dever ter as melhores fotografias daquele evento. Você pode subir, descer, colocar a câmera no chão, rastejar debaixo dos bancos (mentira, não faça isso) etc., não importa, desde que tenha as melhores imagens. Faça por você, faça com gosto, com amor. Eu me sinto livre para criar. Adoro igrejas que me possibilitem milhões de ângulos criativos. A melhor coisa que você pode ter de um trabalho como segundo fotógrafo é a certeza de que está entregando um material de primeira.

iPhotoChannel_ThiagoLara_4

E como é isso de segundo fotógrafo?

Sobre os valores: Bem, aqui no Rio de Janeiro, com a galera que eu costumo trabalhar, o frila de segundo fotógrafo vai de 350 a 600 reais e compete ao fotógrafo de quatro a sete horas de trabalho, além de entregar o cartão ao final do evento. Não precisa editar nada (deixe nos comentários os preços praticados aí na sua região, por favor).

Sobre as fotos: Cada um tem uma maneira de fazer. Tem fotógrafo que não liga de você publicar, outros pedem que não use as imagens nas redes sociais. Varia muito de contrato para contrato e de fotógrafo para fotógrafo. Eu, como não é minha área principal, não me importo do impedimento de usar as fotos em redes sociais, até porque não divulgo casamentos. Mas, se é importante para você, melhor não aceitar essa condição. Afinal, a pior coisa é ter aquela foto linda e não poder mostrar. Mas aí vai de cada um. Às vezes, você precisa acumular experiência, aí faz sentido a exigência.

E como eu acho esse “ser maravilhoso” chamado primeiro fotógrafo para me contratar? Aí, meu jovem, vou te dar o melhor conselho: SEJA UM #IAF, porque nós estamos montando nossa equipe de trabalho e todo evento será constituído por primeiro, segundo e terceiro fotógrafos e um assistente. Mas só para quem for IAF!

Sobre o autor

Thiago Lara

Repórter fotográfico, carioca, apaixonado por registrar conflitos urbanos. Idealizador do IAF e professor de introdução à fotografia.

2 comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Muito bom, ja fui segunda fotógrafa e tambem senti essa tal liberdade, o primeiro aproveitou muitas fotos minhas, isso me deixou muito feliz, visto que na época achava que tirar uma boa foto era apenas apertar um botão, hoje como IAF vejo que vai muito além disso, e nos possibilita ifinitas chances de fazer o que ama e ainda ser reconhecido e admirado por isso!!!















error: Content is protected !!