Ensaios com gestantes Estúdio Fotografia de bebês Fotografia de família

O que faz uma pessoa sair bem na foto? Aprenda como identificar os rostos mais comuns e como melhorar a fotogenia

Foto: Tyto Neves

Esse texto faz parte do meu livro “Retratos de Família – Fotografia de crianças, bebês e gestantes”. Compartilho com muito carinho esse conteúdo que é uma das dúvidas mais comuns entre os fotógrafos.

Sempre me perguntam: “O que faz uma pessoa sair bem na foto?” Primeiramente, vamos entender o que é fotogenia: fotogenia é a forma de vermos através de uma imagem fotográfica. Partindo do pressuposto de que a imagem fotográfica é resultado da ação da luz sobre algum objeto ou pessoa, podemos então dizer que qualquer pessoa é fotogênica. O que muda na realidade é o resultado obtido através da combinação entre ação da luz + a reação da pessoa e sua postura na hora de ser fotografada. Obviamente, outros fatores por vezes peculiares são os responsáveis por uma pessoa não ser classificada como fotogênica.

Geralmente a timidez é um dos principais fatores. Pessoas tímidas, quando expostas a situações que julgam desconfortáveis, podem reagir de diversas maneiras. Algumas retraem, ficam paradas, travam o pescoço. Outras mexem no cabelo o tempo todo. Algumas não param de falar, ou esboçam um sorriso sem graça na tentativa de driblar a timidez. Quantas vezes você se deparou com uma situação assim? Quase sempre, não é mesmo? Às vezes uma pessoa muito bonita pode não ficar muito bem quando fotografada.

É muito comum receber pessoas no estúdio que causam impacto visual em sua chegada, pois o conjunto todo se apresenta harmonioso: cabelo bonito, maquiagem, roupas e acessórios que valorizam sua imagem. Mas às vezes nosso olhar nos engana e percebemos isso logo depois das primeiras fotos. Pessoas lindas esteticamente ao serem fotografadas podem revelar um rosto mais arredondado, um perfil mais marcante, ou detalhes que nosso olhar simplesmente ignorou. Fique atento ao tipo de rosto, pois isso está diretamente ligado à fotogenia, e cabe a você, fotógrafo, identificar e conseguir o melhor resultado. Afinal, todas as pessoas são fotogênicas, apenas precisamos identificar seu melhor ângulo. Observe abaixo os 4 tipos de rostos mais comuns:

Quando falamos em beleza, devemos ter cuidado com os padrões estéticos e corporais que são adotados pelo mercado, afinal, o belo é subjetivo. Quando fazemos um retrato, estamos eternizando enquanto durar aquela fração de segundo. Então, devemos retratar da melhor maneira possível. Alguns fatores podem minimizar situações e melhorar a fotogenia das pessoas:

Definir o melhor ângulo: a primeira coisa é identificar traços marcantes, tipo de rosto e possíveis “defeitos”, para determinar o melhor ângulo a ser fotografado.

Maneira de sorrir: ao perceber pessoas com um rosto ligeiramente arredondado, evite fotografar de frente para a câmera. Por mais feliz que a pessoa possa estar, o sorriso irá acentuar sua característica. Procure um ângulo ligeiramente inclinado. Posicionar-se num ângulo superior ao fotografado cria uma perspectiva muito diferente ao resultado fotográfico e  evita as famosas “papadas”.

Perfil acentuado: algumas pessoas possuem um perfil acentuado, com um nariz um pouco mais destacado e geralmente um rosto triangular. Desse modo, ao ser fotografado de perfil, sua característica também poderá ser muito acentuada. Nesses casos, a fotografia frontal, ou posicionada a 45º em relação à câmera, pode ser uma boa opção. Muitas vezes, nós fotógrafos somos responsáveis por acabar com a fotogenia de uma pessoa, utilizando lentes inadequadas. Erro muito comum nos trabalhos que vejo ao ler portfólios é o uso da grande-angular. Geralmente seu uso nos dá uma visão ampla do assunto a ser fotografado, mas, quando estamos trabalhando com gestantes ou pessoas com rosto arredondado, devemos procurar fechar mais o ângulo de visão. Procure, nesses casos, se distanciar da pessoa, assim evitará distorções provocadas pela grande-angular.

Uma pessoa de mau-humor ou nervosa nunca irá render uma boa foto. Muitos fatores externos podem fazer uma pessoa chegar mal-humorada ao estúdio: trânsito e horários apertados, hormônios, o calor. Por exemplo, o caso da gestante que o marido chegou atrasado por estar jogando bola, ou numa sessão de família na qual um irmão esqueceu do ensaio. Em ensaios de família, quando a mãe quer uma foto do primeiro filho beijando a barriga da segunda gestação e a criança se recusa a fazer. Nesses casos, começar a sessão mostrando as fotos à medida que o ensaio for acontecendo pode ajudar a criar um clima mais adequado. Saborear um bom chá com seus clientes também pode ser um fator de aproximação, no qual você terá a oportunidade de conhecer melhor o perfil e definir o ritmo e linguagem que o ensaio terá. Vale a pena você investir em tempo. O tempo gasto em conhecer seus clientes é tempo ganho na hora de fotografar.

Gostou das dicas acima? Se quiser aprender ainda mais dê uma olhada no meu livro no site da iPhoto Editora. Além de quase 200 páginas de muito conteúdo, esquemas de iluminação e todos equipamentos para fotografar pessoas em estúdio, o livro também é acompanhado de um DVD, onde mostro na prática como fazer alguns ensaios.