Edição

Saturação e vibração na fotografia: o que é e qual a melhor maneira de editar

Livro de fotografia

Depois da fotografia vem a edição, e mesmo os fotógrafos iniciantes já devem ter se deparado com as tais da saturação e vibração. Num primeiro momento elas podem parecer a mesma coisa, mas há grande diferença nesse processo. Entender cada uma pode trazer um resultado mais atraente para as suas fotografias, e facilidade na hora de editar.

A saturação e a vibração trabalham com as cores da imagem. Sabe quando você encontra uma fotografia onde a pele da pessoa está alaranjada, tudo está muito vibrante e parece saltar da tela? Nesse caso a edição da saturação foi realizada. A saturação mexe de uma forma mais “brusca” e aparente na fotografia. Já a vibração é mais suave, não deixa a pele tão exposta como ocorre com a saturação, mas ressalta algumas cores.

Você já deve ter reparado que na barra de edição dessas duas opções, em programas como o Photoshop, elas vão do preto e branco a um colorido intenso. Mas repare que mesmo os tons de preto e branco variam de uma para outra, sendo a saturação mais contrastante. Na edição preto e branco dentro da vibração ainda é possível enxergar alguns tons de outras cores.

Mas qual a maneira certa de usar a saturação e a vibração?

A verdade é que não existe uma maneira certa ou um grande segredo, existe o que você acha ser necessário para a sua fotografia e o propósito final. Então a edição vai partir desses dois princípios e será atrelado a um bom gosto estético, o resultado final precisa agradar ao fotógrafo e compor a obra em sua totalidade, mesmo que a ideia seja ter tons fortes e altos contrastes.

Sobre o autor

Eliza Doré

Eliza Doré

Jornalista do iPhoto Channel é formada pela Univali em Comunicação social com ênfase em jornalismo e pós-graduada em Gestão Cultural, estudou fotografia documental em Buenos Aires.

Adicionar um comentário

Clique aqui para postar um comentário