Direito Autoral

Fotógrafo acusa “Stranger Things”, da Netflix, de usar sua foto sem autorização

O fotógrafo Sean R. Heavey está acusando a série “Stranger Things”, da Netflix, de usar uma foto sua para o desenvolvimento de uma cena em um de seus episódios sem autorização. Em 28 de julho de 2010, Sean fez o registro de uma forte tempestade em Montana, nos Estados Unidos. A imagem da supercélula tornou-se uma de suas fotos mais conhecidas.

Recentemente, Heavey assistia a um episódio da segunda temporada da série quando percebeu que a nuvem que aparecia em uma cena era muito parecida com a de sua fotografia, porém, não era a mesma. Algumas semanas mais tarde, no entanto, um amigo assistiu aos bastidores da série, quando notou a arte conceitual muito aparecida com a foto de Sean.

“A Netflix não teve minha permissão”, disse Heavey ao site PetaPixel. “Eu não coloquei a imagem em nenhum banco de imagens, a menos que ela tenha sido obtida de outro lugar, o que é um problema, se for o caso, então ela está sendo usada sem permissão”

Depois que a Heavey entrou em contato com a Netflix com sua reclamação, a empresa respondeu dizendo que a nuvem em sua foto não está protegida por direitos autorais.

“Eles estão dizendo que a única semelhança que existe é o uso de uma formação de nuvens similar, que a lei de copyright não protege objetos como eles aparecem na natureza, e que um artista não pode reivindicar o monopólio sobre objetos de domínio público do mundo real como uma formação de nuvens”, diz Heavey. “O problema com esse argumento é que não é uma nuvem parecida que eles usaram – é a minha foto da nuvem”.

Foto de Sean R. Heavey

Heavey admite que seu caso é um pouco diferente, já que sua foto foi usada privadamente como arte conceitual e não no programa real ou em produtos comerciais.

“Eu acho que alguém tirou a imagem da web e a usou na peça, que só foi mostrada internamente até que eles fizeram o documentário dos bastidores”, diz Heavey. “Mas eu sinto que, uma vez que eles usam no documentário, isso se torna um uso oficial e eu tenho direito a taxas de uso como qualquer outro.”

Sobre o autor

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto é natural de Belo Horizonte, é bacharel em Artes Plásticas com habilitação em Fotografia e pós-graduando em Jornalismo Digital. Atua como Fotógrafo, Professor e Programador Visual.

2 comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • É realmente muito chato isso, mesmo tendo vários pontos a se tomar.
    A arte da Netflix foi interna é usada em um documentário que nem todos assistem e a série em si é o foco principal do produto.
    Em contrapartida, como toda a cena do conceito foi feita digitalmente, a Netflix poderia ter utilizado a nuvem como referência de forma e não a utilizar a nuvem em si, já que possui todas as ferramentas para recriar e não inserir a mesma.
    É um caso bastante complicado.