Dicas de Fotografia

5 dicas para praticar fotografia na cozinha

Foto: Ana Mireles

Você não precisa ir além da sua própria cozinha para praticar e aprimorar suas habilidades de fotografia. Sim! Em artigo para o site Digital Photography School, a fotógrafa Ana Mireles apresenta uma série de 5 dicas e truques para mostrar que mostram essa verdade.

O conhecimento básico que você precisa entender e dominar na fotografia é a exposição. Isso se refere a encontrar a quantidade correta de luz para sua fotografia. Existem 3 fatores ​​que você precisa levar em conta ao fazer uma fotografia e eles são conhecidos como triângulo de exposição, pois estão sempre conectados. São a abertura do diafragma, a velocidade do obturador e o ISO.

Como eles estão ligados, quando você está ajustando uma perna do triângulo, você tem que compensar com um dos outros dois. Dito isto, você também pode fazer os exercícios propostos, mesmo que ainda não esteja familiarizado com a fotografia no Modo Manual. Vamos lá!

1. Abertura e profundidade de campo

A exposição correta depende dos 3 fatores citados acima, mas é importante lembrar-se de compensar igualmente. Se você ainda não estiver confiante em fazer isso manualmente, poderá configurar sua câmera para o Modo de Prioridade de Abertura e assim sua câmera fará o ajuste automaticamente.

Abertura refere-se ao diafragma na sua lente, a “íris”, através do qual os raios de luz passam para o sensor. Obviamente, quanto maior a abertura, mais luz entra e vice-versa. Porém, a abertura também tem um impacto sobre a profundidade de campo, então você precisa aprender e praticar como controlá-la. Na câmera, a abertura é conhecida como número “f”.

Quando você está fechando a abertura, o número f sobe (como f/16, f/11), o que resulta em uma maior profundidade de campo. Como você pode ver nos exemplos.

Lembre-se de que a distância entre a câmera e o objeto, assim como a distância focal, também afetam a profundidade de campo, portanto, experimente diferentes configurações e continue praticando.

Exercício para praticar

Tente fotografar diferentes objetos em sua cozinha usando diferentes configurações de abertura. Veja como fica em f/2.8 ou em uma abertura maior, comparado a usar uma abertura menor de f/11 ou f/16. Você pode precisar de um tripé para manter a câmera estável.

2. Velocidade e movimento

Outro fator é a velocidade do obturador. Como seu nome indica, é a velocidade na qual o obturador, que é uma cortina em frente ao sensor da câmera, abre e fecha quando você tira sua foto. Quanto mais tempo o obturador permanecer aberto, mais trajetória do objeto em movimento será capturada, resultando em um borrão. Quanto mais rápido você definir a velocidade do obturador, mais o objeto em movimento ficará “congelado”.

Se você não estiver seguro em fotografar no modo manual, poderá definir sua câmera como Prioridade do obturador (TV ou S). Desta forma, sua câmera decidirá as configurações corretas para compensar os outros fatores da fotometria.

Exercício para praticar

Tente encontrar alguns objetos em movimento na sua cozinha, como água corrente saindo da torneira, ou peça a um amigo que derrame um líquido em uma xícara para você, por exemplo. Fotografe em todos os tipos de velocidades de obturador diferentes e veja como fica a 1/30 em relação a 1/2000. Lembre-se de estabilizar a câmera ao usar uma velocidade de obturação menor que 1/60, pois se você se mexer na hora de fotografa pode borrar a foto por causa disso.

Os últimos exercícios são sobre como controlar a imagem resultante com a luz que você tem que trabalhar, mas o próximo passo para nivelar sua fotografia é manipular a luz. Essa é a ideia para as próximas atividades.

3. Qualidade da luz: dura versus suave

Dependendo da distância e tamanho da fonte de luz, assim como do tipo de lâmpada ou acessórios (modificadores de luz) que você usa, você pode ter luz dura ou suave na sua cena.

A luz dura é criada pela luz direta do sol, por exemplo. Ou, se você está falando de luz artificial, pequenas lâmpadas sem modificadores de luz que estão mais distantes do assunto. Isso resulta em sombras escuras com bordas bem definidas e cores contrastantes.

A luz suave é o oposto. Ela lança sombras difusas que desaparecem gradualmente em vez de ter uma borda definida. Quando você está trabalhando com luz natural, é isso que você tem em um dia nublado, porque as nuvens funcionam como um difusor de luz gigante.

Porém, quando você está trabalhando com luz artificial, há muitas maneiras diferentes de suavizá-la. Você pode mover a luz para mais perto do objeto ou usar uma fonte de luz maior (ou modificador). Mas falando sobre gambiarras que você pode fazer em sua cozinha, você pode simplesmente colocar uma folha de papel manteiga na frente da luz para torná-la mais suave.

Exercício para praticar

Escolha um assunto em sua cozinha e fotografe usando luz dura e suave. A luz da janela através de cortinas é uma boa fonte de luz suave. Uma lanterna ou uma lâmpada pode ser uma fonte de luz dura – experimente ambas.

4. Estilo de iluminação – high key

Há um estilo particular de iluminação com luz suave chamada high key. São imagens com cores predominantemente claras e brancas com sombras suaves ou sem sombras na imagem. Você também pode expor demais o fundo branco para aumentar o efeito.

Um truque rápido é usar a luz do exaustor acima do fogão, caso você possua. Ele geralmente dá uma luz suave difusa. “Acho isso muito útil para fazer imagens de high key”.

Tente criar um visual de high key em casa com itens em sua cozinha.

5. Reflexão

Outra maneira de difundir a luz é usando rebatedores. Porém, eles também podem servir a outros propósitos. Neste caso, a fotógrafa estava usando a luz natural da janela vindo de trás da garrafa e colocou uma tábua de cortar como um fundo preto, realçando os contornos dos objetos de vidro.

O problema é que o limão não estava recebendo muita luz e isso achatou a imagem inteira. Usando uma bandeja de alumínio, a fotógrafa rebateu a luz para a frente do limão,  resultando em uma luz sutil, mas necessária. Veja o antes e depois:

Experimente em casa

Portanto, experimente algumas dessas dicas em sua própria cozinha e veja o que você pode aprender brincando e praticando. Como você pode ver, não é necessário nenhum equipamento profissional ou mesmo habilidades culinárias, você só precisa ser criativo! Esses são apenas alguns exemplos do que você pode fazer, mas você também pode trabalhar em sua composição, corte, cores, contraste e muito mais.


Assine nossa newsletter e fique informado :)

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto é redator do iPhoto Channel. Natural de Belo Horizonte, é bacharel em Artes Plásticas com habilitação em Fotografia e pós-graduando em Jornalismo Digital. Atua como Fotógrafo, Professor e Programador Visual.

Adicione um comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as novidades por e-mail












error: Content is protected !!