Danilo Russo Técnica

Fotografia básica: o obturador

Foto: Matheus Hautrive
Imagem obtida a f/14 proporcionou um efeito borrado (foto: Matheus Hautrive)
Livro de fotografia

Imagine que você queira fazer fotos de carros em movimento, crianças chutando uma bola, um casal dançando. As possibilidades de efeitos para essas imagens são interessantes: suas fotos podem sair borradas ou com o movimento congelado. Mas, como controlar esses resultados?

Existe, nas câmeras, um mecanismo o qual chamamos de obturador. Quando o obturador abre, ele permite que a luz chegue até o sensor. Ou seja, é ele que irá controlar o tempo pelo qual o dispositivo ficará recebendo os raios luminosos.

Como podemos ver no vídeo, o obturador, no caso das câmeras DSLR (digital single-lens reflex), é como uma cortininha. Quando clicamos, ele se abre por determinado tempo e depois fecha. Também observamos no vídeo que na frente do obturador existe um jogo de espelhos, para que a imagem que chega até os nossos olhos seja a mesma que chega até o sensor.

Quando o obturador ficar aberto por um longo tempo, ou seja, a uma baixa velocidade, mais tempo ficará recebendo os raios luminosos e gravando a cena. A foto terá o efeito tremido, borrado. Se estiver a uma alta velocidade, mais rápido o obturador vai abrir e fechar, captando instantaneamente a cena – ou seja, irá congelar o movimento.

Baixas velocidades: 1/30s, 1/15s, 1/8s, 1/4s, 1/2s, 1s

Foto: Matheus Hautrive
Imagem obtida a f/14 proporcionou um efeito borrado (foto: Matheus Hautrive)

Altas velocidades: 1/8000s, 1/4000s, 1/2000s, 1/1000s, 1/500s, 1/250s, 1/125s, 1/60s

Foto: Felipe Feijó
O obturador em f/25 foi suficiente para congelar a cena (foto: Felipe Feijó, produção: Ângela Farias, Fernanda Motta e Ninon de Andrade)

Os efeitos borrado e congelado dependem, além do tempo do obturador, da velocidade do movimento do objeto. Imagine, como exemplo, um atleta durante um pulo. Se a velocidade for abaixo de 1/250, provavelmente o movimento será borrado. Já uma pessoa andando, ou seja, num movimento mais lento do que o da pessoa pulando, podemos congelar a 1/60.

Agora pegue sua câmera e tente trabalhar a configuração do obturador, com movimentos congelados e borrados. Continue treinando com o simulador.

Na próxima semana vamos falar sobre o diafragma. Ele também controla a quantidade de luz que chega ao sensor, mas de outra forma.  Até lá!

Sobre o autor

Cynthia Badlhuk

Estudante de Jornalismo, apaixonada por música, fotografia e literatura contemporânea. Escreve também para o site www.livrosdefotografia.com.br. Contato: cynthia@iphotoeditora.com.br

Adicionar um comentário

Clique aqui para postar um comentário