Curiosidades

Foto premiada levanta discussão sobre exclusividade

Livro de fotografia

A fotografia vencedora do prestigiado Prêmio Internacional de Fotografia Hamdan (HIPA) tem causado uma séria discussão. Três questões rondam a imagem: a exploração da pobreza, o momento em que a imagem foi captada e o prêmio recebido. A foto retrata uma mãe vietnamita parcialmente cega que está sentada segurando seus dois bebês, captada por Edwin Ong Wee Kee.

A fotografia foi vencedora na categoria ‘Esperança’ e o uso abusivo do tema pobreza gerou discussão. A situação humanitária em que essa mãe se encontra não há esperança de melhora. Para a HIPA o momento é intenso “Os sentimentos de uma mãe vietnamita cujo distúrbio de fala não a impediu de se sentir esperançosa e evocou uma sensação de força para seus filhos.” É importante destacar que o concurso não é voltado especialmente para o fotojornalismo e que a fotografia no final de toda essa discussão não quebrou nenhuma regra.

A segunda problemática da imagem foi o seu momento de captura em que alguns fotógrafos dizem ser encenada. Kee conta que estavam viajando pelo Vietnã quando passaram por um campo de arroz encontrando uma mãe carregando seus dois filhos e pediram para tirar uma foto. Ela muito gentilmente concordou e sentou-se. “Nós nunca dissemos a ela que se levantasse ou se sentasse. Mesmo depois de tirar fotos, ela ainda estava lá e não se mexeu até sairmos” conta Kee ao The Star.

Uma foto publicada pelo fundador da BD Magazine, Ab Rashid, mostra os bastidores do que parece ter sido o momento em que Kee está captando sua foto vencedora. Podemos ver várias pessoas com câmeras na mão realizando a mesma fotografia. Uma viagem turística que resultou em uma foto premiada? Kee considera-se um entusiasta na fotografia, será que ele sabe das “regras” que devem ser consideradas em uma imagem como esta? E que regras são essas?

Isso mostra o nosso desejo de que uma fotografia dentro do conceito documental/jornalístico seja única em sua totalidade. Única em sua captação, que exista apenas um único fotógrafo naquele momento, uma única visão. Desejamos que o momento seja raro, especial e mágico. Quando na verdade existem inúmeras fotografias históricas que não são ‘únicas’ e mesmo assim conquistaram seu lugar de respeito.

O prêmio recebido por Kee foi o valor de $120.000, um valor alto e cobiçado como recompensa por uma fotografia. O que o vencedor fará com o prêmio não noso cabe a julgamento. Mas alguns fotógrafos ficaram indignados por uma foto considerada ‘organizada’ ter recebido um prêmio deste tamanho, e que futuramente irá lucrar muito mais.

Sobre o autor

Eliza Doré

Eliza Doré

Jornalista do iPhoto Channel é formada pela Univali em Comunicação social com ênfase em jornalismo e pós-graduada em Gestão Cultural, estudou fotografia documental em Buenos Aires.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário