Criatividade

Criatividade importa, mas ser criativo ninguém ensina

Livros de fotografia

Fala-se tanto sobre a importância da criatividade, a necessidade de ser criativo e a relevância para o seu currículo. Mil teorias comportam a ideia de que pessoas criativas se destacam mais, porque exploram um lado específico do cérebro, porque enxergam o mundo de uma maneira diferente ou qualquer outra coisa que faça a concepção de criatividade algo intocável.

E para ajudar nesse processo que batalha entre o ego e a simplicidade, a nova característica do mundo moderno, e que logo se transformará em profissão, são os criadores, e suas variações: create, creators, criativos, etc. O que seriam essas pessoas? Mais especificamente elas trabalham na área de criação de uma empresa ou de um projeto, tendo ideias fenomenais e outra parte tentando convencer o contratante.

Foto: Daria Shevtsova/ Pexels

Mas falar é fácil, agora ensinar de verdade a ser criativo, tem como? Existe fórmula mágica? Seria um misto de artimanhas que fazem dos creators mais desenvolvidos? 

A criatividade vem da sua bagagem cultural, da arte que você consome, do filme que você assiste, dos livros, da música, das suas conversas. Tudo isso influencia no seu termômetro de criatividade. Mas sair por aí consumindo tudo também não ajuda, no fundo a grande necessidade que se encontra no mercado são pessoas criativas que entendam o que estão fazendo e fundamentem suas ideias de alguma forma. Porque ideias mirabolantes todo mundo pode ter, mas explicar e convencer o seu cliente pode ser bem mais difícil, e com certeza você chegará ao ponto de se perder no meio desse caminho. 

Foto: Jeffrey Czum/Pexels

Se você pretende libertar a sua imaginação e ser mais criativo podemos indicar um vídeo bem inspirador. Joshua Walters é um comediante diagnosticado com bipolaridade que resolveu viver a vida assumindo a doença e não tratando-a a base de remédios, ou seja, escondendo quem ele realmente é. Walters traz uma questão muito relevante. “Qual é o equilíbrio exato entre medicar a loucura e estar no extremo maníaco da criatividade e impulso?”.

Às vezes a criatividade depende apenas daquele loucura que precisa ser manifestada.

Sobre o autor

Eliza Doré

Eliza Doré

Jornalista do iPhoto Channel é formada pela Univali em Comunicação social com ênfase em jornalismo e pós-graduada em Gestão Cultural, estudou fotografia documental em Buenos Aires.

Adicionar um comentário

Clique aqui para postar um comentário















error: Content is protected !!