Carla Durante Colunistas Fotografia newborn

Newborn: “Faça de coração ou então não faça”

Livro de fotografia

CARLA_04

Vamos falar de fotografia de recém-nascidos (newborn photography), um estilo novo aqui no país que ganha atenção de forma rápida e que é responsável pelo ingresso de novos profissionais no mercado.

A fotografia de bebês recém-nascidos atrai olhares e suspiros das mamães e futuras mamães de forma mágica e contagiante através das redes sociais na internet e do boca a boca, duas formas simples, espontâneas e bastante eficazes de propaganda.

Ora, se já temos um cliente atraído por esse produto (mamães apaixonadas, emocionadas e corujas, dispostas a comprar tão lindas imagens de seus bebês), é uma consequência natural que o segmento atraia também pessoas (fotógrafos ou não) interessadas em aproveitar esse novo filão no mercado. Sim, essa é uma área promissora e está em plena expansão!

Em países como EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, o “newborn” já é bem conhecido e tem um mercado grande e seguro. Aqui no Brasil, estamos apenas começando. Mas, apesar do pouco tempo de existência, a fotografia newborn – que ainda usa o nome importado (quem sabe para dar mais charme!) – não está apenas engatinhando. Ao contrário, ela dá passos largos e quase corre como uma criança feliz que cresce saudável – mas que tem ainda muita coisa a aprender!

Os primeiros profissionais que se desenvolveram nessa área e, de certa forma, abriram as portas para esse segmento, enfatizam a importância de que esse tipo de trabalho precisa ser feito com muito cuidado e profissionalismo. E salientam: é preciso muita paciência e fazer tudo com muita segurança.

CARLA_10

Assim, muitas fotógrafas tornaram-se elas mesmas fonte de conhecimento e desenvolveram workshops que são, por enquanto, a melhor e mais segura forma de adquirir conhecimento e assim ingressar nesse mercado.

Diferente de outros segmentos da fotografia, o newborn exige um lado humano (e daí dizemos, faça de coração), com cuidados que devem inclusive pecar pelo excesso, que transcendem e sobrepõem os conhecimentos técnicos de fotografia. Tanto por lidar com os bebês, criaturas frágeis e indefesas, como com as mães, que ainda estão num estado de graça e muito sensíveis por terem gerado uma nova vida. Cada bebezinho que chega ao mundo é uma benção. Um verdadeiro milagre. É preciso ter sensibilidade para entender e respeitar esse momento tão mágico e sublime.

Assim, é importante que aqueles que se interessam em experimentar essa área da fotografia saibam desde já – desde sempre – que os requisitos básicos antes mesmo de possuir uma câmera profissional, objetivas claras (f/1.4 ou f/2.8…), trabalhar com luz suave, investir em acessórios e props, ter um pufe e baixar um app com white-noise (ruído branco), é preciso ter paciência, carinho e muito cuidado com o bebê.

CARLA_09

Só para dar uma pincelada no assunto a fim de se entender essa preocupação quase obsessiva com a segurança do bebê, saliento que precisamos todos termos a consciência de que não estamos fotografando produtos nem modelos. São serem tão pequenos, frágeis, delicados e sensíveis que se torna imperativo conhecer e entender tudo sobre essa fase da vida do bebê.

Como, por exemplo, sua anatomia, que o difere de outras fases do crescimento, com órgãos ainda em desenvolvimento, a importância de um ambiente limpo e com temperatura controlada, os cuidados extremos para sempre observar e proteger a cabecinha do bebê que ainda é muito delicada, pois os ossos do seu crânio ainda são flexíveis e divididos em várias placas (com a finalidade de facilitar o nascimento) e por isso bastante frágil. Saber segurar e sempre segurar a cabeça do bebê enquanto você monta a pose é o ponto número um quando falamos em segurança do bebê!

Esse mercado por enquanto é predominantemente feminino mas, ao contrário do que se possa imaginar, não é necessário ser mãe para fotografar recém-nascidos (embora essa experiência agregue bastante). Vemos ótimos fotógrafos (pais ou não) e fotógrafas (que não são mamães!) que possuem um trabalho lindo e encantador. O importante é que esses profissionais possuam conhecimento sobre os bebês. E não apenas se aventurem numa área por verem nela um sucesso garantido.

CARLA_08

Com esse conhecimento sobre o bebê, suas necessidades e limites, é possível fazer as poses de forma segura e confortável. Sempre salientando que algumas poses vistas na internet ou em sites de fotógrafos profissionais e que se tornaram “ícones” da fotografia newborn são resultado da montagem de duas ou mais imagens no Photoshop ou outro software de edição.

O bebê jamais deve ficar com o queixinho apoiado nos bracinhos, pendurado numa redinha num galho de árvore ou na trouxinha da cegonha… nem mesmo ficar com a cabecinha reta (sem apoio) sobre os bracinhos cruzados. Sempre haverá um apoio: uma mão que segura, um leve toque de dedo que dá equilíbrio, acréscimo que depois será removido com uma simples montagem em camadas no Photoshop.

A cabeça do bebê é grande e pesada, desproporcional ao seu corpinho. Ele nem teria força ou controle muscular nos braços para ficar apoiado sozinho. Jamais tente fazer dessa forma!

A técnica é bastante simples. Não há por que arriscar.

CARLA_03

Então é isso, se você tem o primeiro requisito que é a paciência e está disposto a se desenvolver no segundo que é o conhecimento e respeito pelos bebês, já está apto a se aprofundar nos demais. Caso contrário, não vale a pena dar o passo seguinte!

Claro, além disso tudo, para ser profissional é preciso possuir todos os conhecimentos de fotografia: luz e fotometria, composição, estética… tudo que um fotógrafo deve saber.

Isso você pode e deve desenvolver através de cursos em escolas de fotografia, livros, congressos e toda fonte onde puder buscar conhecimento (internet, colegas, revistas, sites especializados…).

A partir deste mês, vamos tratar de forma periódica sobre cada um desses aspectos aqui neste espaço do Photo Channel. Será um prazer dividir, discutir e debater com vocês tudo o que é importante informar e esclarecer sobre fotografia de recém-nascidos.

CARLA_01

O convite é para que a gente desenvolva juntos aqui no Brasil (aproveitando que estamos no começo e que por isso mesmo é mais fácil unir e organizar os profissionais) um mercado ético, próspero e duradouro, com preços justos, competência, beleza e, acima de tudo, segurança.

Vamos abordar temas polêmicos, suaves, obrigatórios e até o que ainda nem existe direito, está em formação, falando de tendências, experiências, leis e normatização.

Se você tiver um assunto específico que deseja saber ou debater, mande sua sugestão – na medida do possível abordaremos o tema em questão.

  • foto_Carla_Durante CARLA DURANTE é fotógrafa de recém-nascidos, gestantes e famílias e uma das fundadoras da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos (ABFRN).

 

 

.

Sobre o autor

Carla Durante

CARLA DURANTE é fotógrafa de recém-nascidos, gestantes e famílias e uma das fundadoras da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos (ABFRN). Ela é formada em Comunicação Social / Publicidade e Propaganda pelo Instituto Metodista de Ensino Superior no ano 1987. Trabalhou desde então em áreas ligadas à criação e arte.

26 comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Fico horrorizada com as coisas que vejo em fotos de bebê no Pinterest e redes afins. Este final de semana fiz minha primeira sessão com um bebê. Eu optei por fazer as fotos dentro da casa dele, interagindo com os pais, sem poses e superproduções. Gostei bastante do resultado. Mas estes é o jeito que eu faço fotos. Concordo com você: quem quer se especializar nisso tem que tomar muito cuidado, ter muito respeito e responsabilidade.

    • Sim, Melissa o “lifestyle” é muito lindo.

      Uma outra forma de fotografar registrando momentos da vida da família: o bebê, sua “mamis e papis” felizes e encantados, irmãozinhos…o quarto, detalhes de uma vida, …um dia nesse lar que abriga um bebê recém-chegado ao mundo.
      Esse, inclusive, é um tipo de ensaio que não precisa ser feito apenas com RN…pode ser feito com qualquer idade (do 0 ao 120 anos!) e vai sempre ficar lindo e tocar fundo nos corações.

      Existem vários jeitos e estilos de fotografia. O importante sempre é que ao se fazer um ensaio, tanto pais quanto profissionais tenham respeito e cuidado com o bebê.

  • excelente artigo…importantissimo ter sempre em mente os cuidados com o bb, q não é um produto, como vc disse.
    Carinho, conhecimento do corpinho do bb, respeito ao momento dos pais, higiene e cuidados são fundamentais para este segmento da fotografia. Parabens Carla pelo artigo e pelos ensinamentos. Sucesso e vou acompanhar suas dicas. obrigada, parabens.

  • Todo mês vamos publicar algo a respeito.

    Nosso debate é aberto e visa o conhecimento e informação sobre essa área.

    Críticas e opiniões serão bem vindas.

    Aguardem novos posts e sintam-se convidados a participar relatando experiências, dúvidas e dando sua opinião.

    Peço a gentileza que o façam de forma construtiva e agregadora.

    Esse é nosso desafio:
    Fazer com que a fotografia de recém-nascidos seja referência no que tange SEGURANÇA e RESPEITO com o bebê e sua famíla, estética, ética e profissionalismo de alto nível.

    Vamos fazer isso juntos!

    Vamos nos munindo de informações e cuidados.

    E vamos aos poucos fazendo com que as famílias sejam elas mesmas monitoras dessa excelência.

    Que elas saibam quais profissionais contratar exigindo destes os cuidados necessários.
    Tais como:
    -limpeza do ambiente e acessórios;
    -temperatura controlada e quentinha, confortável para o bebê;
    -segurança, cuidado e carinho ao segurar o bebê e coloca-lo nas poses;
    -respeito com os horários de mamar;
    -atenção para não expor orgãos genitais do bebê quando este for fotografado sem fraldinha;
    -jamais recomendar o uso de qualquer tipo de medicamento (mesmo que seja para cólicas) – isso quem deve fazer é o PEDIATRA e nunca um fotógrafo!
    -iluminação que não incomode o bebê
    -fotografia de alto nível
    entre outras tantas coisas que vamos abordar.

    Bem vindos e vamos juntos fazer acontecer!

  • Fico indignada e bastante preocupada com a falta de cuidado e preparo de muitos fotógrafos por ai. Já vi mamães pedindo para tentar fazer a foto do queixinho e ter como resposta: podemos tentar, será que ele/a pára?… Acho que a busca pelo conhecimento nunca é demais! Vale a pena investir em cursos, ws, livros, revistas e até mesmo um tempinho para buscar na web posts ótimos como esse! =)

  • Olá, em primeiro lugar parabéns pelo trabalho e obrigada por compartilhar suas experiências neste espaço, serei uma seguidora assídua.
    Gostaria de saber mais sobre a anatomia, ‘funcionamento’ do bebê, onde/como pegar, etc. Há alguma literatura, dica que vc indique?
    abs e sucesso

    • Wanezza,

      Eu aprendi muita coisa com minha cunhada que é pediatra. Até pensei em convida-la qualquer dia desses para dar uma palestra para fotógrafos… Mas também li e posso indicar um livro que achei bem bacana que é “MEU BEBÊ: a incrível capacidade de evoluir tanto em tão pouco tempo”
      autor: Desmond Morris
      LAROUSSE
      Abrange de forma bastante clara vários assuntos sobre a anatomia e piscologia do bebê – desde o nascimento até completar 2 anos.
      Também vale ir numa livraria e pesquisar. Na sessão de gestantes e famílias vc vai encontrar bastante coisa!

    • Léo,

      Acho que isso depende mais do fotógrafo do que das mães… Na verdade ainda estamos começando a “educar”, isto é, ensinar nossa cliente que o quanto antes, melhor.

      Porque no finalzinho da gestação elas ainda tem tantas coisas para arrumar e resolver – e o tempo passa tão rápido- que elas acabam se esquecendo.
      Assim, o ideal seria pelo menos no início do 8º mês de gestação…

      Mas muitas acabam correndo e vendo isso só depois que o bebê nasceu…e o que é pior…quando ele está com quase um mês!

      O ideal para as fotos newborn é que o bebê tenha idade entre 6 a 15 dias. Algumas fotógrafas americanas aconselham a fazer só até 10 dias. Mas lá as mamães já sabem que é assim. Aqui ainda não…

      No meu caso, como eu também faço fotos de gestantes e quase sempre os bebês que fotografo são os filhos das gestantes que fizeram o ensaio comigo, elas já deixam tudo agendado e, o que é mais interessante: nossos laços já foram estreitados. Há um envolvimento…

  • Existem muitos “fotógrafos” por ai se aventurando nessa área sem NENHUM conhecimento e técnica para a segurança do bebê. Fiz um curso que em dois dias inteiro, o foco foi a segurança. Esse post foi muito mas muito útil e todos os que querem entrar nesse mundo encantado que é o newborn devem ler, afim de se conscientizar que estamos lidando com um ser delicado e não um boneco de pano… Adorei a matéria! Vou acompanhar as próximas.

  • Oi Carla,
    Quais são as formas de “educar” as mamães ?

    Pelo que eu entendi, o trabalho com gestantes é essencial para obter sessões Newborns, certo?

    Talvez a “prospecção” de ensaios de gestantes seja até mais importante que a propecção de Newborn.

    Desculpe tantas perguntas, tenho um blog sobre Marketing para Fotógrafos e nada melhor do que trocar informações com fotógrafas como você.
    Abs
    Leo

    Obrigado pela atenção

    • Sim, Léo. esse é um dos caminhos.
      Vamos falar e aprofundar mais sobre isso em outros posts.

      Perguntas e sugestões são sempre bem vindas! Não incomodam, não!

      🙂

  • Parabéns pelo profissionalismo e consciência sobre segurança/ética.
    Gostaria de dicas sobre adereços( xales, gorros, por exemplo) antialérgicos, de qualidades, para as produções. Onde posso comprá-los no Brasil ou mesmo no exterior, já que aqui o mercado por aqui só está começando.

  • Boa noite Carla !
    Sua matéria : UMA AULA ! Tenho certeza de que iremos agregar mais conhecimentos ! Parabéns e obrigada por compartilhar suas experiências ! Desta forma, faz com que sonhos se tornem cada vez mais, realidade !!!

    a propósito, a indicação do livro, “MEU BEBÊ”… dica preciosa !

    Abraços.

    Célia Graberth

    • Obrigada, Célia!

      Mais uma dica de livro:

      “O primeiro ano do seu bebê – mês a mês.”
      Editora CMS

      Procure na livraria Cultura. Lá tem com certeza!

  • Querida Carla, parabéns pela matéria, muito instrutiva e pertinente. Poderia me responder se você faz algum tipo de autorização com os pais dos bebês, para poder expor as imagens em sites ou redes sociais? abaço

    • Oi Diny,

      Obrigada!

      Sim, é importante sempre que antes de publicar qualquer foto (em qualquer veiculo de comunicação, inclusive internet) que você tenha a autorização dos pais para isso.

      Uma sugestão é você fazer em contrato esse termo (por escrito) no dia da sessão de fotos e pedir para os pais assinarem.
      Mas antes, claro, vc explica que isso é bacana e importante para a divulgação do seu trabalho. Caso eles não gostem da ideia de ter as fotos do filho publicada, vc deve respeita-los.

      E sempre que for veicular algo, avisa-los antes. Ele ficam orgulhosos ( e querer ver também), claro…com razão!

      Procure saber mais sobre contratos, diretos de imagem e direitos autorais.

      Provavelmente em artigos futuros falaremos mais sobre isso.

      Sugiro pesquisar na internet… (blog, fanpage, etc…) algo sobre esses 2 profissionais (ambos são fotógrafos e advogados):

      – José Roberto Cômodo Filho
      – Marcelo Pretto

  • Carla,

    Parabéns pela excelente e esclarecedora matéria!

    Minha esposa cursou Fotografia Profissional e recentemente terminou um Curso de Newborn aqui em SP com a Gisa Petroff e está muito animada e feliz pela escolha em trabalhar com os bebês e famílias!

    E eu, claro… estou com ela nessa e estudando muito também. Sou apaixonado antigo da fotografia…rs. Informações oriundas de profissionais gabaritados como você acrescentam demais ao nosso aprendizado e permitem fazermos as escolhas corretas, minimizando riscos e erros.

    Temos MUUUITO a aprender e cada dia mais buscamos informações. Esse espaço aqui será maravilhoso! Desejo sucesso a você e quem sabe faremos um curso contigo,hein? rs. Será demais!!!

    Um abraço!

    Flávio e Renata

    • Obrigada, Flavio, por palavras tão gentis.
      É bom compartilhar conhecimentos e experiências com quem sabe valorizar.
      Desejo muito sucesso para você e para a Renata!
      abs,
      Carla