Colunistas Fotografia de casamento

Foto do beijo é estragada por convidado em casamento

Foto: Joel H. Garcia

Neste dia 17 de setembro, o fotógrafo Joel H. Garcia – residente nas Filipinas – postou uma imagem que reacendeu toda a discussão sobre o uso de câmeras e celulares por parte dos convidados em eventos como casamentos e aniversários.

Na foto, podemos ver aquilo que Henri Cartier-Bresson chama de “momento decisivo”: o beijo dos noivos, o contato das mãos no rosto, a composição impecável criando uma simetria entre os dois lados do enquadramento. Mas contra todo o talento do fotógrafo, eis que surge a mão de um dos convidados para capturar a mesma cena com o seu celular (certamente a partir de um ângulo um pouco pior).

Em sua postagem, Garcia escreveu:

“Alguns momentos são muito breves e quando um convidado entra no caminho, eu fico muito triste, pois as pessoas não percebem o que estão fazendo. Eu quero postar este tipo de imagem porque tenho a esperança de ensinar algumas pessoas, que entenderão isto como um lembrete positivo e pensarão no fotógrafo ou cinegrafista que estão trabalhando antes de pular bem na frente de um momento crucial.”

O celular no rosto da noiva da hora do beijo, uma das fotos mais importantes (ou talvez a mais importante!) de um casamento | Foto: Joel H. Garcia
O celular no rosto da noiva da hora do beijo, uma das fotos mais importantes (ou talvez a mais importante!) de um casamento | Foto: Joel H. Garcia

Esta é a realidade com a qual muitos fotógrafos de casamento e eventos precisam lidar frequentemente. Além de todo o profissionalismo, conhecimento, habilidade e talentos envolvidos na difícil tarefa de registrar momentos tão ímpares e fugazes, ainda cabe ao fotógrafo lidar com a invasão de câmeras compactas, celulares e até mesmo DSLRs super bem equipadas.

Pode parecer um preciosismo e para quem não trabalha na área fica difícil entender como a simples presença de um celular ou câmera compacta pode atrapalhar tanto o trabalho de um fotógrafo. A foto de Joel H. Garcia demonstra um dos problemas mais clássicos, quando o melhor enquadramento para uma determinada imagem está exatamente atrás da câmera de um convidado.

Outro problema bastante comum acontece quando o fotógrafo monta um grupo para um retrato – os noivos com os pais, ou os padrinhos – e neste momento um convidado surge com sua câmera para aproveitar a reunião e fazer uma foto para si. Com a melhor das intenções, o convidado fica alguns passos atrás do fotógrafo, na tentativa de não atrapalhar. Como resultado, os membros do grupo a ser retratado têm um momento de confusão e o fotógrafo acaba registrando uma cacofonia de olhares, com cada pessoa olhando para uma direção diferente – muitas vezes sutis demais para ser percebida ali, no momento da captura.

livro de fotografia sem medo do flash

Diferente do convidado, o fotógrafo será cobrado por aquela imagem. Ele tem a responsabilidade profissional de entregar o melhor trabalho possível e não caberá quaisquer desculpas se determinados momentos cruciais do evento não estiverem presentes no álbum de retrato. O convidado, nesta situação – mesmo que com a melhor das intenções – terá prejudicado não apenas o trabalho do profissional, mas também o resultado esperado pelos protagonistas do evento – possivelmente maculando os registros que deveriam ser eternizados.

Pense nisto quando sair de casa para o próximo evento, aniversário ou casamento para o qual você tenha sido convidado. Se o evento tiver um fotógrafo contratado, considere deixar sua câmera em casa e seu smartphone no bolso. Curta a festa e dedique toda a atenção dos seus olhos, mente e coração ao importante evento que se desenrola diante de você.

Existe um profissional, cujo conhecimento, talento e habilidade estão todos alinhados pelo melhor registro fotográfico da ocasião. Esta pessoa ou equipe estão lá para que você não precise se preocupar e possa se dedicar ao que qualquer convidado deve fazer em um evento: se divertir.


Assine nossa newsletter e fique informado :)

Raphael Bonelli

Raphael Bonelli é colunista do iPhoto Channel. Designer gráfico há 17 anos e especializado no tratamento e manipulação de imagem, Raphael Bonelli aprofunda-se no tratamento de imagem como técnica, mas também como parte integrante da linguagem fotográfica. Além disso, também é tradutor de diversos livros da área de fotografia, como o Adobe Lightroom 5 para Fotógrafos Digitais, de Scott Kelby, e Poses Perfeitas, de Roberto Valenzuela.

44 comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • O pior de tudo é que é uma foto de péssima qualidade, nunca será impressa, será mostrada pra uma ou duas pessoas no máximo e será perdida na próxima formatação ou troca de aparelho e quem tirou já terá esquecido.

  • Toda essa discussão termina em um profissional chamado Cerimonialista. Sim aquele mesmo que coloca em cardapios em cima das mesas aos convidado aonde escreve “Seja bem vindo, divirta-se, TIRE MUITAS FOTOS, e não vá em bora sem nos dar um abraço”! Aqui em Fortaleza Ceará é assim!

    • Me desculpe, Alex Mendes, mas vc está totalmente equivocado. Primeiro pq cerimonialista não coloca cardápio na mesa e sim o buffet; segundo que o cerimonial é o organizador do evento, e dessa forma quer que tudo saia perfeito, pois foi o que planejou juntamente com os noivos; terceiro que todo bom cerimonialista previne o casal sobre o que pode acontecer e alguns até pedem para avisarmos aos convidados que evitem celulares nas entradas dos noivos. Então, o problema não é o cerimonialista, e sim, a educação das pessoas.

      • Que pena que aí seja assim, Alex 🙁 Aqui no Sul consideramos o Cerimonialista um anjo rsrsrs. Ajuda a gente, facilita muitas coisas… Concordo com a Raquel quando diz que o problema é a educação das pessoas. E o bom senso. Acho que hoje em dia vive-se mais pelo facebook do que por outras coisas. O mais importante não é a festa, é conseguir postar fotos dela.

  • É triste quando isso acontece. Eu mesmo quase apanhei de uma convidada, que teimava em não querer sair da minha frente pra que eu pudesse fazer uma imagem do pai da noiva e a noiva se olhando e chorando no momento da entrada. Sorte que tinha mais um fotógrafo comigo, ele conseguiu fazer o registro. Mas em fim, sao coisas inevitáveis da profissão. A paciência e a habilidade tem que ser muito usada nesses momentos.

  • Bem, não se pode negar que a intromissão do convidado estragou a foto mas, convenhamos, mesmo sem ele, ela seria péssima, com péssimo enquadramento, cheia de ruido e manchas na lente. A meu ver o convidado salvou o cliente, impedindo que tal droga pudesse compor o book do casório.

    • Caramba, que comentario infeliz…

      Vc deve ser daqueles q nunca trabalhou na area, soh sab ver video comparando cameras kkkkk

      Foto linda, perfeita.

      O ruido nesse PB ficamais bonitdo ainda

  • o convidado tem que intender que ele e convidado e não fotografo. Para isso que os noivos contratam um fotografo e um cineastra, para que os convidados ali presente aprecie o evento

  • Aí, te falar… Até que esse celular na frente deu um diferencial pra foto! Não que tenha sido dos melhores, mas alguém aqui já tinha visto uma foto assim? Eu não, e curti bastante. Mesmo que não tenha sido proposital! Sabe qual foi o melhor? que o foco ainda estava entre um e outro, além de uma grande abertura… Se fosse tudo nos noivos, aí perdia a foto. Se fosse só no celular, seria perfeito! um 1.8, sei lá… 2.8 de perto… ia ficar show também rsrs por mais que muitos pensem diferente e realmente essa galera estrague as fotos e vídeos de vários casais no mundo.

      • Pois é, mas acho que seria mais bacana pra um registro fotojornalístico do casamento. Mas mesmo fazendo imagens assim, acho que a gente sempre tem que procurar entregar também (não apenas, claro, mas inclusive) uma mais “clássica”, afinal não é todo cliente que curte e até mesmo “entende” fotos assim. Às vezes por mais genial que a foto seja, o cliente não entende, tem aquela imagem da foto clássica do beijo e queria uma assim, paciência. Espero que o casal ali tenha entendido rsrs.

  • Na minha opinião não estragou – pelo contrário, trouxe realismo a um momento que todos querem registar; agora todos têm uma ferramenta com que o fazer – O mundo mudou – podemos questionar a utilização dos smartphones em circunstâncias específicas, não neste caso. Na minha opinião pessoal esta tornou-se uma foto única de um momento único. Caso contrário seria mais uma foto banal de um momento especial.

    • Você já deve ter estragado alguma foto importante e quer se isentar da culpa… só pode! Então, na SUA opinião, essa seria uma “FOTO BANAL DE UM MOMENTO ESPECIAL” se o convidado não tivesse atrapalhado?! Rs…
      Os smartphones não veem com câmeras para fotografar casamentos. Isso é a função do PROFISSIONAL. Os fotógrafos são contratados e capacitados para isso. Você pode usar a câmera do seu celular para fazer selfies com os amigos, família, balada, seu cachorro brincando (…) e registrar qualquer cena pessoal… acho super válido fazer uso disso. Mesmo! Mas cada coisa no seu lugar. 😉

  • A por aqui muitos fotógrafos a começar e bem broncos, não atrapalhou, até ficou fixe diferente.
    Cambada de broncos por causa de fotógrafos assim a que estamos a chegar onde estamos com uma total falta de respeito por quem ali está para trabalhar e dar o seu melhor mas não só ,falta de respeito também muitas vezes pela igreja e padres ao subirem a mão cheia para o altar e por vezes a falarem como gralhas.
    Chegam a estar por vezes 30 ou 40 telemóveis na mão dentro de uma igreja acho mesmo muita falta de respeito até pelos próprios noivos que de certeza não pensaram ser assim o seu dia na cerimonia, atrapalham fotógrafos e camaras video, atrapalham o padre e os próprios noivos pois já vi padres terem de parar a cerimonia para advertir este tipo de gente que nada respeita e por vezes levamos nós por tabela, enfim ainda a fotógrafos que acham normal e bem este tipo de situação,afinal de quem será a culpa?

  • Já aconteceu comigo, na saída da igreja, houve uma chuva de arroz e algumas pessoas entraram na frente (ainda bem que estávamos em 2 fotógrafos) e, mesmo assim, acabou por estragar a cena…

  • Já passei por essas e outras situações …, hoje meu contrato tem a seguinte cláusula: “É de responsabilidade dos CONTRATANTES, pessoas portando equipamento fotográfico e/ou de filmagem (que não façam parte da equipe contratada), uma vez que a presença dos mesmos compromete a qualidade dos serviços aqui ajustados;”

  • Apesar de muitos terem achado a foto diferente, que retratou a realidade… Eu achei uma droga! Não gostaria de que a foto do meu casamento tivesse sido marcada por um braço de uma pessoa que muitas vezes nem é um familiar muito querido. Se ainda fosse minha mãe, pai, avó… Ok! Diferente ou não, me fará ter muito mais cuidado ao pegar o celular em um evento. E seria bom se todos o fizessem…

    • Tenho a vaga impressão de que a foto era possível com uma leve mudança de posição. Convidados são convidados. Reportagem não é álbum. Não se “dirige” a vida. Ela acontece na sua frente. Não usem o meu nome a torto e a direito, ok?

  • Sou fotógrafo e atendo no interior do Estado de RO. Aqui, por diversas vezes fui muito atrapalhado por convidados do casal, com seus celulares e até tablets (pensa… kkk), a fazer o melhor registro possível, em momentos muito importantes da cerimônia. Foram tantas vezes que agora criei uma cláusula em meus contratos referente a hipótese de ser impedido de fazer o melhor registro em função dos convidados terem um comportamento que atrapalhe meu trabalho, a exemplo de ocuparem espaços ao redor e próximos do casal na hora da cerimônia, para fotografar com seus celulares. Incrível, no primeiro contrato que acrescentei uma cláusula neste sentido, foi batata, um dos padrinhos mais a esposa do pastor que celebrava a cerimônia, “sacaram” seus celulares com aquelas capinhas maravilhosas que abrem como um livro (kkkk) e não pararam até o final da cerimônia. Durante, chamei o pai da noiva e mencionei o importuno. Me salvei pelo contrato. Claro, ainda me desdobrei mais para fazer o melhor para o casal.

  • hoje em dia , essa cena é normal , e não tem como proibir tal atitude , pois eles (os convidados ) se sentem com seus tabletes e celulares cineastas , aparecendo nas cenas dos noivos .j.cristovão fotografo.

  • O melhor presente que os noivos podem receber dos seus convidados é o respeito pelos seus profissionais de imagens que estão no seu melhor angulo com a luz o foco correto. Em sua posição na cenas perfeitas e unica. Infelizmente alguém estraga tudo.

  • Amo fotografia, mas todas variáveis atuais estão me obrigando a deixa-la como profissão. Tá tudo muito complicado e os ganhos estão cada vez menores, não vale a pena mais! E não me venha com mimimi de especialização, amor pela arte etc que isso não põe comida na minha mesa, os cursos são caríssimos, tem que se atualizar constantemente, equipamento é caro, software é caro, gasta-se muito tempo para fazer algo de qualidade e o ressarcimento de tudo isso está ada vez menor.

  • Se enquadrar o rosto dos noivos pegando apenas a mão e o celular do convidado ficaria legal a foto, claro que seria importante uma opção sem ele no meio, mas isso poderia ser resolvido com alguns passos rápidos pra pegar um angulo diferente.

  • Isso acontece com muita frequência e eu já sabendo disso, no meu casamento, avisei que caso alguém atrapalhasse os registros dos fotógrafos, seria convidado a se retirar. Nada de fotos com flash, no meio do corredor e de preferência, sem fotos na cerimônia, mas na festa compensariamos com selfies.

  • Não tem nada de errado nesta foto. É o que está acontecendo no momento, e o convidado foi mais rápido que o fotógrafo. Isto é perfeitamente normal. O fotógrafo é que tem que se adaptar e encontrar maneiras de contornar esta situação. É deselegante o profissional pedir para o convidado sair da frente ou deixar de usar o seu celular. O convidado sempre será mais importante que o fotógrafo. É muito estrelísmo achar que suas fotos são melhores que as dos convidados e reclamar desta situação. O fotógrafo tem que se antecipar ou aproveitar esta situação da melhor maneira possível. Afinal, ele é o profissional. Eu aproveito e fotografo todos os convidados que vejo usando seus aparelhos, assim os interessados também podem solicitar estas fotos.

  • Acho importante conscientizar convidados e afins sobre a atuação dos profissionais de fotografia e cinegrafia nos eventos. Há que se ter certo senso de coletividade a respeito disso tudo. E também compartilho da opinião dos colegas dos comentários que gostaram do resultado “efêmero e realista” da foto: ficou particularmente interessante, ao meu ver. Porém, é pertinente ao profissional reconhecer que esse tipo de ocorrência é e ficará cada vez mais comum. Smartphones e câmeras compactas são uma realidade e não desaparecerão. Evoluirão. N]ao tem como impedir que as demais pessoas saquem seus gadgets, mesmo em nossa frente. Por outro lado, temos ao nosso favor a criatividade nata do ofício. Uma pergunta que podemos fazer neste sentido é: como tirar proveito deste que, a princípio, é um inconveniente, e fazer com ele uma boa imagem? Como ver beleza em algo inicialmente “feio”?

  • Já passei por situações assim, muito decepcionante. Também já fotografei com celular, mas sempre observando se não tava atrapalhando ninguém por perto. A gente sabe que o melhor angulo quem busca é você, o fotografo. Mas muitas vezes vc se arruma, foca e de repente aparece a surpresa.

  • Ultimamente tenho tido dificuldade de fotografar a noiva de corpo inteiro entrando na igreja.O convidado deita o corpo no corredor e fica filmando a noiva com celular…. É claro que posso colocar na grande angular,mas quem entende sabe que o assunto ficará todo deformado.Acho que o problema é de educação mesmo,que ocorre em todas as áreas, não só na nossa….

Receba as novidades por e-mail












error: Content is protected !!