Fotografia subaquática

Cientistas criam um algoritmo que remove a distorção de cores das fotos subaquáticas

Cada vez mais a importância da preservação dos mares é assunto para conversas e debates. A oceanógrafa Derya Akkaynak e o engenheiro Tali Treibitz criaram um algoritmo que remove a água das fotografias subaquáticas. Isso significa que agora ficou ainda mais fácil identificar espécies que saem nas fotografias.

O algoritmo foi chamado de ‘Sea-thru’ e vai ajudar muita gente a descobrir coisas incríveis. Sobre o feito Alastair explica ao BoredPanda que “você recebe refração da luz fazendo com que os objetos pareçam mais próximos e maiores, no entanto, depois de alguns mergulhos, você começa a dar conta disso naturalmente” e complementa. “A distância que você pode ver também é afetada pela água e por quaisquer partículas suspensas na água. Então, à medida que a luz mais profunda é absorvida, isso começa com o vermelho. ”

Um dos maiores desafios dos fotógrafos é a visibilidade e a absorção de luz. “Eles trabalham para reduzir a clareza e o contraste nas fotos. Enquanto você obtém filtros vermelhos, eles geralmente funcionam apenas entre determinadas profundidades, a segunda opção é usar lâmpadas de alta potência. ”

Sobre o autor

Eliza Doré

Eliza Doré

É formada pela Univali em Comunicação social com ênfase em jornalismo e pós-graduada em Gestão Cultural, estudou fotografia documental em Buenos Aires.

Adicionar um comentário

Clique aqui para postar um comentário