Tendência

A história por trás da foto “Menino de Nagasaki”, uma das fotos mais impactantes da história

A foto do “Menino de Nagasaki”, carregando seu irmão morto nas costas após o lançamento das bombas sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, em 9 de agosto de 1945, é uma das imagens mais chocantes e reveladoras dos horrores após o fim da Segunda Guerra Mundial.

A foto foi tirada pelo fotógrafo americano Joe O’Donnell e mostra um menino, com de 9 anos de idade, esperando sua vez para fazer a cremação de seu irmão morto, de 5 anos, que carregava nas costas. Segundo o fotógrafo, o menino mordia tão forte os lábios para não chorar que chegou a sair sangue da sua boca. A história dos dois irmãos foi contada também no filme de animação Hotaru no Haka (título em Japonês), lançado em 1988, e disponível no Brasil com o nome “Túmulo dos Vagalumes”. Veja o filme na íntegra gratuitamente no final do post.

A história por trás da foto "Menino de Nagasaki",  que carregava seu irmão morto nas costas
A foto do menino de Nagasaki | Foto: Joe O’Donnell

O fotógrafo Joe O’Donnell chegou a Nagasaki meses após a explosão para registrar as consequências devastadoras das bombas atômicas sobre a população japonesa. “Vi esse menino caminhando, ele tinha mais ou menos uns 10 anos de idade. Me dei conta de que levava um menino sobre seus ombros. Naqueles dias, era uma cena bastante comum de se ver no Japão: sempre víamos crianças brincando com seus irmãos e irmãs, carregando-os sobre seus ombros, mas depois percebi que no caso desse menino era uma situação muito diferente. Ele não usava sapatos. Seu rosto estava tenso. A cabecinha do menino que estava nas suas costas estava inclinada para trás, como se fosse um bebê dormindo profundamente. Em certo momento, o menino parou diante de dois homens com máscaras brancas e ficou lá por cinco ou dez minutos“, disse Joe O’Donnell ao descrever a cena que estava presenciando.

Outro aspecto impressionante da foto é a postura do menino. Ele ficou ali parado, aguardando sua vez para fazer a cremação do seu irmão, com o corpo ereto, com as mãos espalmadas juntas às coxas e os braços ligeiramente curvos, típica postura de soldados militares, que mostra a influência da guerra sobre a população civil, inclusive nas crianças.

Os dois homens com as máscaras brancas eram os encarregados de incinerar numa pira os corpos das vítimas que haviam morrido por causa das consequências das bombas atômicas. Porém, até ali no fotógrafo não tinha percebido que o menino nas costas estava morto.

“Os homens de máscaras brancas foram até o menino e silenciosamente começaram a tirar a corda que segurava a criança que estava em suas costas. Foi quando vi que essa criança estava morta. Os homens seguraram o corpo pelas mãos e pés e o colocaram no fogo. O garoto ficou ali sem se mexer, observando as chamas. Ele mordia o lábio inferior com tanta força que chegou a sangrar. A chama ardia baixa como o sol se pondo. O garoto se virou e se afastou silenciosamente“, disse Joe O’Donnell.

O fotógrafo Joe O’Donnell, autor da famosa foto do menino de Nagasaki

Até hoje a identidade do menino que carregava seu irmão morto nas costas não foi encontrada, inclusive foi lançado em 2020 um documentário de 50 minutos chamado Searching for the Standing Boy of Nagasaki, produzido pela NHK, mostrando os esforços para encontrar o menino. O fotógrafo Joe O’Donnell faleceu aos 85 anos, coincidentemente, em 09 de agosto de 2007, mesmo dia e mês que foram lançadas as bombas sobre as cidades japonesas em 1945. Atualmente, a foto do menino carregando seu irmão morto nas costas é usada no Japão como símbolo de força.

Estima-se que a bomba nuclear lançada em Hiroshima matou cerca de 160.000 pessoas e a que atingiu Nagasaki cerca de 80.000. Apenas metade das vítimas morreu com o impacto das bombas, a outra metade morreu de forma dolorosa após dias a meses. Assista abaixo o filme de animação “Túmulo dos Vagalumes”, que retrata essa história. Se quiser saber a história por trás de outras fotos famosas, clique neste link.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.