Início » 10 dicas para fazer fotos minimalistas de grande impacto visual
Dicas de Fotografia

10 dicas para fazer fotos minimalistas de grande impacto visual

O site 500px publicou um artigo muito bom com um guia com ótimas dicas para fazer fotos minimalistas. Segundo o artigo: “O Minimalismo tem sido a palavra-chave da fotografia nos últimos anos, coincidindo com movimentos maiores como os “estilos de vida organizados”. Da abordagem elegante e despojada da Apple ao design de produto ao estilo de vida minimalista, o minimalismo ajudou a redefinir a cultura visual. No ano passado, a Getty Images apontou “ Clean Slate ” como uma de suas principais tendências em fotografia comercial, notando um maior interesse entre os compradores por fotos nítidas e limpas. Em nosso mundo desordenado e feeds de redes sociais, imagens definidas por espaço aberto e linhas claras parecem uma lufada de ar fresco. Essa tendência envolve paletas de cores reduzidas, composições gráficas e beleza simples. Leia nossas dicas para usá-lo a seu favor.

Foto: Lisa Vlasenko

Observe o seu fundo

Em composições minimalistas, o espaço negativo é indiscutivelmente tão importante quanto o próprio assunto, portanto, fique de olho em fundos limpos e organizados. Um céu sem nuvens, uma parede em branco ou um tampo de mesa em cores sólidas resolverão o problema, mas fique atento a quaisquer detalhes que possam distrair (manchas, linhas de energia, pessoas etc.). Remova tudo o que puder do seu plano de fundo até que apenas os elementos essenciais permaneçam.

Claro, outra opção seria abrir sua abertura para uma profundidade de campo mais estreita; ao fazer isso, você tirará tudo, exceto o assunto, de foco, minimizando as distrações. Você também pode usar longas exposições para criar desfoque e remover detalhes não essenciais. Com uma exposição mais longa, por exemplo, as ondas se tornarão suaves, sedosas e unificadas.

Incorpore formas simples

A fotografia minimalista tem suas raízes no movimento artístico minimalista dos anos 1960, então dê uma olhada nas obras de Frank Stella, Robert Morris ou Agnes Martin. Você descobrirá que eles tendem a usar formas extremamente reduzidas, como retângulos e quadrados, que você também pode incorporar em seus quadros fotográficos. Priorize a simplicidade, o equilíbrio e a harmonia.

Escolha o assunto certo

Minimalismo e abstração andam de mãos dadas, então suas imagens minimalistas não precisam representar literalmente o assunto. Se você olhar as fotos de pimentas e conchas de Edward Weston, por exemplo, você descobrirá que ele as abstraiu quase irreconhecível, transformando-as de objetos do cotidiano em estudos formais. Com isso dito, seu objeto deve ser visualmente forte o suficiente para ficar sozinho, sem muitos elementos de apoio. Não precisa ser nada extraordinário, mas se você puder encontrar um assunto com uma cor, textura ou contraste atraente, você adicionará interesse à sua foto.

Pense como um perfeccionista

O minimalismo se baseia no princípio “menos é mais”, então dedique tempo e esforço para aperfeiçoar os poucos detalhes e elementos que você tem no quadro. Cada linha, do horizonte às linhas principais, deve ser internacionalmente colocada, sem qualquer distorção. “Erros” que poderiam passar despercebidos são imediatamente aparentes em fotos minimalistas. Embora você possa consertar linhas desiguais na pós-produção, recomendamos colocar “na medida certa” na câmera para aprimorar seus olhos. Mude seu enquadramento até que os detalhes se alinhem; uma lente principal funciona bem porque o incentiva a se mover e “fazer zoom com os pés”. As regras de composição, como a regra dos terços ou a proporção áurea , podem ser duplamente importantes para os minimalistas porque permitem que você faça mais com menos. Você não precisa segui-los, mas eles podem ser úteis.

Limite sua paleta de cores

O minimalismo é sobre subtração, então use contenção quando se trata de cor. Mesmo em obras de arte minimalistas em que a cor desempenha um papel importante, como nas pinturas de Frank Stella, você normalmente encontrará apenas um punhado de cores diferentes, muitas vezes complementares umas às outras . Usar esses pares – azul e laranja, amarelo e roxo, vermelho e verde – pode ajudar o assunto a se destacar do fundo. Paletas de cores pastel também são populares na fotografia minimalista, mas não existem regras aqui. Claro, você sempre pode ir monocromático com minimalismo, se preferir; se você já duvidou do poder do preto e branco, por exemplo, confira as paisagens minimalistas de Michael Kenna.

Use a repetição a seu favor

As formas geométricas que compõem sua composição podem ser independentes, mas também podem se repetir para formar um padrão. O escultor minimalista Sol LeWitt freqüentemente usava formas repetidas em suas criações, então considere fazer o mesmo em seu trabalho. Você pode encontrar formas repetidas “em estado selvagem” em obras de arquitetura ou criá-las usando sombras; um excelente exemplo deste último seria a famosa foto de André Kertész, The Fork , que usava uma sombra para reforçar a forma do objeto (um garfo).

Faça um esboço

Alguns fotógrafos minimalistas esboçam suas ideias antes de disparar para garantir que tudo esteja no lugar certo. Se você trabalha em um gênero que se presta a esboços, como comida ou fotografia de naturezas mortas, traga seu bloco de desenho e faça um brainstorming de algumas composições. Você não precisa ser o melhor desenhista do mundo – se for mínimo, deve ser fácil de desenhar.

Dê um passo para trás (literalmente)

O espaço negativo é fundamental na fotografia minimalista, por isso pode ajudar a colocar alguma distância entre você e o assunto enquanto incorpora mais “espaço para respirar” no fundo. Não há problema se o assunto ocupar apenas uma pequena fração do quadro. Há uma razão pela qual o tema “pessoa minúscula, paisagem grande” tem sido tendência nos últimos anos; o espaço negativo pode funcionar perfeitamente para fornecer uma sensação de escala.

Prática

Aprender a “ver” como um minimalista pode ser difícil, especialmente no mundo super saturado de hoje. Por esse motivo, uma das melhores coisas que você pode fazer com o mínimo de fotografia é fotografar o máximo possível. Quanto mais você treina seu olho para encontrar formas gráficas e composições limpas, melhor você consegue identificá-las em lugares inesperados.

Não tenha pressa

Para o fotógrafo minimalista Hengki Koentjoro , que mora na Indonésia, elaborar uma imagem leva tempo; ele frequentemente se senta e espera na natureza até que a composição certa se torne clara. Seu objetivo é olhar para o mundo de uma perspectiva descomplicada, sem julgamento ou pressa. Praticar fotografia minimalista pode servir como um lembrete para desacelerar e voltar ao básico. Não há necessidade de complicar as coisas; é o suficiente para ficar presente no momento e apreciá-lo sem adicionar camadas desnecessárias de significado. Como Frank Stella disse certa vez sobre suas pinturas: “O que você vê é o que você vê”.