Exposição

Fotografias de viagem tiradas em 1850 são expostas em NY

"Estátua colossal do Gautama, Amerapoora, perto do final norte da ponte de madeira" | Foto: Linnaeus Tripe
Fotografia de gestantes em estúdio

Hoje é meio difícil quem viaje hoje e não tire fotos os lugares e paisagem. Tratando-se de fotógrafos, então, impossível. Através das fotos, quem não esteve lá tem um gostinho de como foi o passeio. Que tal então curtir umas fotos de 1850 e fazer uma viagem também no tempo?

"Estátua colossal do Gautama, Amerapoora, perto do final norte da ponte de madeira". coleção de Charles Isaacs e Carol Nigro. | Foto: Linnaeus Tripe
“Estátua colossal do Gautama, Amerapoora, perto do final norte da ponte de madeira” | Foto: Linnaeus Tripe

Uma exposição de fotografias tiradas pelo Capitão Linnaeus Tripe durante sua passagem pela Índia e a Birmânia está disponível para visitação no Metropolitan Museum, em Nova York, e será transferida para Victoria and Albert Museum, em Londres. A coleção de 60 imagens feitas em negativos de papel exibe lugares históricos, edifícios, geologia e a infra-estrutura de partes dos dois países.

Em Rangum, hoje Mianmar. | Foto: Linnaeus Tripe
Em Rangum, hoje Mianmar. | Foto: Linnaeus Tripe

Em alguns casos, elas foram as primeiras fotografias a ser tiradas desses locais. A exposição, “Captain Linnaeus Tripe: Photographer of India and Burma, 1852-1860”, abrange oito anos de produção de Tripe. Foi encomendada ao capitão, pelo governador-geral da Índia, a missão de registrar a paisagem e arquitetura da região, incluindo os antigos monumentos, edifícios religiosos e seculares.

Pilares do pórtico de Roya Gopurum. | Foto: Linnaeus Tripe
Pilares do pórtico de Roya Gopurum. | Foto: Linnaeus Tripe

Fotografando durante o advento do processo de colódio molhado em placa de vidro, as imagens de Tripe foram feitas utilizando o processo calotype, mais antigo, onde os negativos eram feitos em papel. Como era comum na época, Tripe revestia seus negativos em cera derretida para aumentar a transparência do papel e para engordar suas fibras, assim a textura era firme o suficiente para a impressão final. Claro que as condições de calor na Índia não ajudavam, então muitos negativos acabavam derretidos. Aos poucos, Tripe foi transferindo sua produção para o processo de colódio.

Pagoda Thapinyu, centro religioso. | Foto: Linnaeus Tripe
Pagoda Thapinyu, centro religioso. | Foto: Linnaeus Tripe

O capitão Tripe nasceu em Plymouth Dock, Devon (Inglaterra), em 1822. Sendo o nono de doze filhos, Tripe ingressou no exército da East India Company, em 1838, e se fixou em Palaveram, no sul da Índia. Ele voltou para a Inglaterra em 1850, e ficaria por apenas dois anos, mas adoeceu e ficou até 1854. Durante esse tempo, ele criou interesse por fotografia e aprendeu a usar uma câmera. Ele praticou em sua cidade natal, Davenport, em Londres e em Paris antes da sua licença para a Índia. Confira mais fotos no site do Metropolitan Museum.

Fotografia feita em Devenport, terra natal do fotógrafo Linnaeus Tripe. Na foto, a doca de Plymouth. | Foto: Linnaeus Tripe
Fotografia feita em Devenport, terra natal do fotógrafo Linnaeus Tripe. Na foto, a doca de Plymouth. | Foto: Linnaeus Tripe

FONTE: DP REVIEW

lightroom

Livro - Fotografia de Bebês
Ruca Souza

Ruca Souza

Ruca Souza é editora do iPhoto Channel. Jornalista, também é fotógrafa de coisas e pessoas (nessa ordem) e tem uma banda de rock.

Adicione um comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como aprender mais fotografia…

Selected Title

Receba as novidades por e-mail