Câmeras, lentes e iluminação Equipamentos de fotografia

Fotógrafo conta como é usar uma lente inspirada em 1840

Foto: Misha Voguel
Foto: Misha Voguel
Livro - Sem Medo do Flash

Uma das lentes mais peculiares da fotografia atual é a Petzval 85, da Lomography. Apesar do “atual”, ela é inspirada em uma objetiva criada nos primórdios da fotografia, em 1840, por Joseph Maximilian Petzval. E graças a este novo lançamento, fotógrafos de hoje em dia podem criar retratos usando câmeras atuais da Canon e Nikon com esta joia da fotografia.

A Petzval 85mm f/2.2 tem versões para Nikon e Canon
A Petzval 85mm f/2.2 tem versões para Nikon e Canon

A peculiaridade da lente, para além de sua história, vem do fato de ela ser feita de latão e possuir diafragma modular, feito de placas também de latão móveis.

As placas de abertura de diafragma usadas na lente Petzval 85
As placas de abertura de diafragma usadas na lente Petzval 85, que tem distância focal de 85mm e maior abertura de f/2.2

A curiosidade de saber como essa lente se comporta é grande! O fotógrafo brasileiro Misha Voguel nos tira um pouco dessa dúvida, dando o gostinho de como é utilizar essa lente excêntrica em uma câmera atual. Ele utilizou a lente em uma câmera Canon 5D Mark II. Confira o relato:

“Quando eu fiquei sabendo da Petzval 85, foi através de uma busca incessante por uma lente que me entregasse um bokeh diferente, que pudesse deixar os retratos com cara de arte, uma pintura impressionista. Nesta época já utilizava de lentes manuais, e eu estava querendo mudar a forma como eu fazia fotografia. Precisava me reeducar, e através da paciência e com a demora em focar o assunto, fui buscando mais qualidade no lugar da quantidade.

Foto: Misha Voguel
Foto: Misha Voguel

Pude então pensar com mais carinho na composição, local e no assunto do qual estava fotografando. E com a Petzval é assim. Se você quiser ter algo diferente em sua bagagem, é a lente certa!

A Petzval 85 é feita de latão (cor broze ou preto) e tem uma ótica de qualidade impressionante… Em f/2.2 tem nitidez apenas no centro, enquanto nas bordas perde facilmente. Fica com aspecto de “borrado”, tem bastante vinheta e uma saturação bem característica. A lente não é a prova de intempérie, ou seja, tem que ter cuidado na hora de sair por aí fotografando debaixo de chuva ou em climas mais difíceis.

Foto: Misha Voguel
Foto: Misha Voguel

Ela parece mais com um tambor. Girando para frente e para trás uma pequena manopla ao lado você consegue chegar ao foco. Hoje utilizo a lente na maior parte de meus ensaios. Sou dedicado a retratos de crianças e com certeza foi um investimento que me deu um grande retorno.

Foto: Misha Voguel
Foto: Misha Voguel
Foto: Misha Voguel
Foto: Misha Voguel

Atendeu minhas expectativas e ajuda a refinar ainda mais meu olhar. Não recomendo a mesma para eventos, por ter um ajuste de foco lento que é perdido com qualquer movimento. Para ter uma imagem mais nítida e focada, recomendo o uso de tripé e usar o live view de sua câmera”

Conheça mais sobre o trabalho de Misha Voguel no site do fotógrafo.

Semana da Fotografia 2017
Ruca Souza

Ruca Souza

Ruca Souza é editora do iPhoto Channel. Jornalista, também é fotógrafa de coisas e pessoas (nessa ordem) e tem uma banda de rock.

2 comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como aprender mais fotografia…

Selected Title
  • SITE-vertical.png

Receba as novidades por e-mail