Colunistas Dicas de Fotografia

Na fotografia TAMANHO é documento?

Captura através de câmera Sony A700 equipada com sensor APS-C
Livro de Fotografia Poses Perfeitas

Em fotografia temos alguns componentes que constituem a base principal de qualidade dos arquivos que capturamos (nesse artigo vou me concentrar na parte mecânica do processo, sem levar em consideração a expertise e o grau de conhecimento de cada um). Um desses fatores é o tamanho/formato do sensor.

É de consenso geral que quanto maior a área de captura de um sensor digital (seja CCD, Foveon ou CMOS), maior tende ser a qualidade final das imagens capturadas.

Então para que escrever esse artigo?

Para dizer que depende.

Depende do que? Do uso final dos arquivos, dos tipos de mídia nos quais serão veiculados e, por fim, do tamanho de impressão que precisamos alcançar.

Num segmento em permanente evolução, com o uso cada vez maior das imagens em mídias digitais online (portanto sem impressão em mente) a questão adquire novas nuances.

Vamos falar rapidamente sobre tamanho então:

Sensores full-frame, são os holy grail da fotografia, sendo o objeto de desejo e sonho de consumo de quase todos os fotógrafos, pela qualidade que conseguem, em virtude da área que capturam. São na medida do antigo frame de filme fotográfico 35 mm, com 24x36mm.

Antes do desenvolvimento das câmeras mirrorless, era sinônimo de câmera grande, pesada e cara. Continuam sendo caras, mas com muito menor tamanho e peso. Exigem objetivas de alta qualidade para tirar partido da qualidade que entregam. Essas também bastante caras.

Sensores APS-C ou “cropados”, assim chamados por serem menores que os full-frame, por exemplo, 22×14.8 mm. São os que formam a grande base dos fotógrafos entusiastas e mesmo os profissionais, no Brasil. Entregam qualidade que atende grande parte das necessidades pessoais e para as aplicações comerciais mais comuns. Todos os grandes fabricantes têm câmeras com eles equipadas. Oferecem ótima relação custo-benefício.

Sensores micro four-thirds, equipam as câmeras de fabricantes como Olympus, Panasonic e Nikon, na medida 17.3x13mm. Equipam câmeras de pequeno tamanho, de lentes intercambiáveis ou não. Proporcionam boa qualidade em câmeras de pequenas dimensões e baixo peso. Sistema pouco usado no país, mas popular em outros mercados.

Existem outros, de tamanhos mais reduzido, como os de ½.5” e 1/1.7”, mas esses são de menor capacidade e equipam basicamente câmeras amadoras, mais automatizadas. E os sensores Super35 são usados em câmeras de cinema, o que não é nosso caso neste artigo, mas é interessante de se saber.

Tabela do livro “Como fazer vídeos”, de Armando Vernaglia Jr.

Falamos dos que equipam as câmeras, mas e sobre os que equipam os dispositivos mais utilizados pelas pessoas em seu dia-a-dia e uso em redes sociais? Dispositivos ganhando espaço inclusive em algumas aplicações comerciais: os de celulares.

São, seguramente, os dispositivos mais utilizados para capturas fotográficas e compartilhamento – pela praticidade, portabilidade e por estarem o tempo todo junto a seus usuários.

Ao longo do tempo vieram melhorando muito em relação à capacidade de registro fotográfico, dispondo hoje em dia de um grande número de aplicativos e outros programas, que ajudam muito na forma como as pessoas acostumaram a interagir.

Captura através de câmera Sony RX10 com sensor de 1.0”

Tamanho do sensor de um iPhone 7 Plus: 1/3” 4.8×3.6mm, portanto muito menor que os equipam as câmeras citadas acima. Existem de outros fabricantes e modelos, com tamanho ainda menores. Então porque são tão usados?

Aí chegamos à questão do “depende”: porque entregam a qualidade que as pessoas esperam  (muitas vezes sem maior compromisso) com a possibilidade de compartilhamento instantâneo, sem pretensões em relação à impressão de cópias fotográficas à posterior – e que assim acabam ficando armazenadas nos próprios dispositivos, em HDs de computadores ou mesmo HDs externos.

Isso nos leva ao ponto principal desse artigo: de que qualidade precisamos? O que esperamos de nossas imagens? Qual será o uso final?

Resumo da ópera: isso de tamanho é relativo…

Para impressões de cópias fotográficas com qualidade e uso profissional para utilização em mídias diversas, as mais indicadas são as câmeras equipadas com sensores full frame ou APS-C. Sensores desse tipo permitem registros com reprodução perfeita em termo de cores, tons, saturação e nitidez.

Para aplicações menos exigentes e uso amador, os demais atendem perfeitamente bem.

A escolha vai depender do uso principal, do quanto podemos investir, do grau de conhecimento e comprometimento que temos em nossos registros.

O cenário envolvendo a fotografia atual passa por modificações constantes, abrindo novas possibilidades e usos criativos, vai de cada um fazer a escolha mais acertada, dentro do que espera e precisa.

Até o próximo artigo!

Captura através de câmera Sony A850 equipada com sensor full-frame e 24MP.
Captura através de câmera Fujifilm X100 equipada com sensor APS-C

Assine nossa newsletter e fique informado :)

Marcello Sokal

Marcello Sokal

Marcello Sokal colunista do iPhoto Channel. Fotojornalista com 22 anos de experiência e imagens publicadas em livros, revistas, jornais e websites do Brasil e do mundo. Algumas publicações: Jornal O Dia, do RJ, Revista Photos, Revista Mercado Brasil, Revista do Sindipi, Revista Velejar e Meio ambiente, Revista OHMI, Revista Photoworld (editada na Inglaterra), Revista Ecoturismo Brasil, entre diversas outras. Participou de exposições fotográficas coletivas e individuais no RJ,SP, SC, RS e Portugal. Clientes de diversos segmentos atendidos: SEBRAE,AMFRI, UNIVALI, Grupo Acquaplan, Grupo SAED, FG Empreendimentos, entre diversos outros. Autor de registro fotográfico integral para 03 livros de arte. Ministra aulas de fotografia nível básico, intermediário e avançado.

1 comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Livro Poses Perfeitas

Receba as novidades por e-mail












error: Content is protected !!