Dicas de Fotografia

As 5 regras para fotografar pássaros

Tony Gentilcore, também conhecido como Nerd Birder, é um fotógrafo especializado no registro de pássaros. Recentemente, ele publicou em seu blog uma lista com 5 “regras” que ele considera essenciais para conseguir uma fotografia de pássaro bonita e convincente, enfatizando a importância de sempre apontar para o olho do animal.

“Seria clichê dizer que os olhos são a janela para a alma, mas eles são certamente a chave para uma fotografia convincente. Isso é intuitivo quando fotografa pessoas e animais de estimação, mas não é menos verdade para os pássaros”

1. Um olho deve ser visível e no foco mais nítido da imagem

Em um empreendimento criativo como a fotografia, parece estranho que haja regras, mas Tony afirma que poderia contar com uma mão o número de fotografias de pássaros interessantes que viu que não mostrassem um olho ou mostrassem um que não estivesse em foco.

“Uma das coisas mais dolorosas que eu tive que fazer foi tirar uma foto de uma espécie rara ou uma foto de vôo de outra forma perfeita porque o olho estava na borda errada da profundidade de campo”

Tony explica que ao fotografar um pássaro empoleirado, geralmente funciona bem usar a abertura mais ampla da lente com foco no olho. Isso proporciona o olho mais nítido possível com o bokeh máximo no fundo. Quando o pássaro está se movendo rápido ou voando, muitas vezes é necessário usar uma profundidade de campo maior, como f/8. Isso, juntamente com a focagem automática contínua, uma velocidade de obturação mais rápida (na faixa de 1/1000 a 1/2000) e múltiplos pontos focais, proporcionam uma melhor chance de que o olho fique nítido.

Foco na ponta do bico

2. A direção do bico deve estar dentro de 90º em relação à câmera

Segundo Tony, o pássaro deve estar olhando para a câmera ou em perfil direto. Os fotógrafos de pássaros iniciantes tendem a achar isso menos intuitivo do que manter o olho em foco. Mas pense nos retratos de pessoas. Nós não tendemos a fotografar a parte de trás da cabeça das pessoas ou as pessoas olhando longe da câmera. Ele ressalta que há espaço para a expressão criativa, mas esta é uma regra importante a ser conhecida antes de tentar quebrá-la.

Para obter a posição da cabeça e a pose geral, é quase sempre necessário fotografar no modo de disparo contínuo. Os pássaros muitas vezes apontam a cabeça em todas as direções, geralmente muito rápido para que possamos reagir à pose certa com um único clique. Quando você vê seu assunto, apenas se concentre na cabeça e comece a disparar antecipando o seu movimento. Muitas espécies não podem deixar de olhar para o interessante som do obturador.

Ao passar por muitas exposições, rapidamente exclua as que o bico não está em direção à câmera. No limite de uma pose de perfil, uma leve forma oval vertical do olho trai quando a cabeça está apenas um pouco acima de 90 graus de distância da câmera. Pode parecer sutil, mas apenas esse pequeno afastamento da câmera pode degradar severamente o interesse da imagem, segundo Tony.

Cabeça inclinada para além do perfil
Cabeça alinhada com o perfil

3. A câmera deve estar na mesma altura do olho

Tony afirma que não fotografar no nível dos olhos é o diferencial mais comum entre os registros amadores e fotos realmente envolventes. As aves, com suas asas irritadas, estão frequentemente acima de nós. Ou às vezes, particularmente com aves aquáticas, estão abaixo de nós.

“É fácil simplesmente inclinar a câmera para cima ou para baixo, então é isso que muitas pessoas começam a fazer. Ao fazê-lo, eles capturam uma visão familiar – a maneira como estamos acostumados a ver pássaros todos os dias.”

Ele explica que o objetivo de um fotógrafo é destacar seu assunto em uma luz incomum – para mostrar aos espectadores uma nova maneira de ver o mundo. Uma ótima maneira de conseguir isso é colocar o espectador na perspectiva do pássaro, disparando em seu nível de olho.

Um nível acima da cabeça
Mesmo nível dos olhos

Para conseguir a câmera no nível do olho do pássaro é preciso criatividade, paciência e sorte. Tony dá algumas dicas funcionam bem:

  • Para as aves em voo ou que gostam de ficar em em árvores altas, tente ir em algum lugar com uma colina íngreme. A inclinação muitas vezes funciona em seu favor.
  • Algumas reservas de pássaros têm torres de visualização que são feitas sob medida para isso, mas também consideram que uma janela no segundo andar em um jardim é basicamente a mesma coisa.
A partir de uma colina
A partir de uma janela no segundo andar

Quando tudo falhar, tenha um backup. É o ângulo do pássaro e não a diferença de altura absoluta que importa. Então, usar uma longa telefoto que permite que você fique a uma pequena distância pode compensar uma certa inclinação da câmera.

Para os pássaros no chão, e especialmente flutuando na água, pegue a câmera tão baixa quanto possível para o chão. Até mesmo agachar muitas vezes não é suficiente. Uma tela de visualização inclinada pode permitir que você coloque a câmera em quase o nível da água, ou, na sua falta, pode ser necessário colocar no estômago.

4. A luz deve chamar a atenção

Esse pequeno reflexo (chamado de catch) dá aos olhos um brilho que os fazem saltar. Como um bom benefício, se a luz é certa pegar nos olhos, geralmente segue que o lado do pássaro virado para a câmera também está bem iluminado.

Capturar a aimagem perfeita geralmente implica apenas sair na luz certa e manter o sol nas suas costas. A melhor luz para fotografar pássaros é baixa e direta. Isso significa que há sombras muito longas e afiadas geralmente encontradas durante a primeira e a última hora da luz do dia.

Ao perseguir pássaros, esteja ciente da posição do sol e tente manter-se entre o sol e o pássaro. Isso pode ser difícil, pois muitas vezes significa ignorar a metade do seu campo de visão, mesmo que haja ótimos pássaros lá. A boa notícia é que os pássaros se movem muito, então às vezes vale a pena encontrar um lugar com boa luz e esperar que as aves venham.

Cabeça contra a luz do sol
Cabeça a favor do sol

5. O olho deve estar devidamente exposto

Embora seja obviamente melhor obter a exposição certa no campo, Tony ressalta que a maioria das fotografias se beneficia de aumentar a exposição do olho (e às vezes saturação) no pós-processamento. O pincel ou ferramenta de edição seletiva encontrada na maioria dos editores de fotos funciona perfeitamente. Muitas vezes, apenas +0.3 ou +0.7 pontos de luz faz toda a diferença.

“As aves têm uma enorme variedade de cores nos olhos, algumas delas impressionantes. Eu amo quando uma fotografia destaca a beleza do olho aviário. Não há nada pior do que um disco preto e sem vida onde uma pupila e uma íris deveriam estar.”

Olho subexposto
Realce do olho na pós-produção

Assine nossa newsletter e fique informado :)

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto é redator do iPhoto Channel. Natural de Belo Horizonte, é bacharel em Artes Plásticas com habilitação em Fotografia e pós-graduando em Jornalismo Digital. Atua como Fotógrafo, Professor e Programador Visual.

Adicione um comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as novidades por e-mail












error: Content is protected !!