Dicas de Fotografia

10 dicas de fotografia macro para iniciantes

Black Friday Antecipada

Micael Widell é um entusiasta da fotografia que mora em Estocolmo, na Suécia. Apaixonado por fotografia, ele mantem um canal no YouTube com tutoriais, análises de lentes e inspiração fotográfica. Em um artigo publicado originalmente em seu blog, Micael apresenta 10 dicas de fotografia macro para iniciantes:

1. Lentes

Existem várias boas opções de lentes para fotografia macro. Você pode usar tubos de extensão combinados com uma lente normal, o que lhe dá alguma ampliação; ou ainda, você pode inverter uma lente normal que, quando combinada com tubos de extensão, dá ainda mais ampliação.

A opção mais conveniente e flexível, porém, especialmente para iniciantes dentro da macro fotografia, é obter uma lente macro dedicada. Os modelos mais populares vêm em distâncias focais entre 90-105mm e possuem uma relação de ampliação de 1: 1. Há também distâncias focais mais curtas, como 50 ou 60mm, mas estas têm distâncias de trabalho mais curtas, o que significa que você precisa se aproximar muito do seu assunto e arriscar assustá-lo.

A ampliação 1: 1 significa que, quando você focar o mais próximo possível, seu assunto será tão grande no sensor quanto na vida real. Então, se você tiver um sensor full frame de 36×24 mm, isso significa que qualquer inseto que você quer fotografar terá 36mm de comprimento.

Se você usar uma câmera com sensor APS-C ou Micro 4/3, você aumentará seu assunto em mais 1x, pois o sensor é menor. Estas lentes macro 1: 1 são feitas pela maioria das grandes marcas, como a Sigma 105mm, Canon 100mm, Nikon 105mm , Samyang 100m, Tamron 90mm, Sony 90mm e Tokina 100mm. Elas são todas nítidas e custam cerca de US$ 400 a US$ 1.000, representando um ótimo custo-benefício.

2. Localização e clima

Alguns dos assuntos mais interessantes para fotografar com uma lente macro são pequenos insetos. Flores e várias plantas também são divertidas, e muitas vezes proporcionam imagens abstratas interessantes. Os locais que oferecem o máximo a um fotógrafo macro, segundo Micael, são lugares com muitas flores e plantas: “Os jardins botânicos são especialmente excelentes”. O clima nublado geralmente é melhor do que o tempo ensolarado, pois proporciona uma luz mais suave.

O melhor momento para sair se você quiser fotografar insetos é com a temperatura de cerca de 17° C ou mais quente, pois os insetos tendem a ser mais ativos quando está quente lá fora. Por outro lado, se você é bom em encontrar insetos onde eles descansam, eles ficam mais quietos quando está frio. Alguns fotógrafos macro gostam de sair nas manhãs do início do verão para pegar os insetos quando são menos ativos.

3. Flash

Se você está fotografando assuntos muito pequenos, como os insetos, a profundidade de campo será extremamente curta – dois milímetros ou mais. Então, você terá que configurar sua abertura para pelo menos f/16 para conseguir a maior parte de um inseto com nitidez.

Com uma pequena abertura como essa, e a necessidade de uma alta velocidade de obturação devido ao tremor da lente e do inseto, um flash é obrigatório. Você pode usar qualquer flash para fotografia macro, na maioria dos casos, mesmo o flash pop-up incorporado das câmeras DSLR pode funcionar bem. Micael sugere o Meike MK-300 por ser barato, compacto e leve.

Existem algumas situações de macrofotografia em que um flash não é estritamente necessário. Uma situação é se você estiver quiser usar f/2.8 ou f/4 e tiver muita luz solar. Este poderia ser o caso se você não estiver querendo uma ampliação 1: 1, e então obter uma boa profundidade de campo com uma grande abertura (quando você se afastar do seu assunto, a profundidade de campo aumentará).

O lado positivo com o não uso de um flash é que você obtém fotos mais naturais com a luz do ambiente. Mas se você for fotografar insetos de perto e quiser ter mais do que uma pequena parte deles em foco, você terá que usar um flash.

4. Difusor

Se você estiver usando um flash, é recomendável utilizar também um difusor. Qualquer material branco e translúcido que você possa colocar entre o flash e o seu assunto pode servir. Quanto maior a área da fonte de luz, mais suave são as sombras. É por isso que octaboxes gigantes são tão populares na fotografia de retratos. E é por isso que você deve usar um difusor na fotografia macro: torna o tamanho da luz do flash muito maior e, portanto, a luz parecerá menos dura e as cores sairão melhores.

“No começo, usei um pedaço branco normal de papel que cortei um buraco e enfiei a lente. Era um pouco frágil, e ficava amassado durante o transporte. O meu próximo difusor foi um filtro de aspirador, que também cortei um buraco e coloquei a lente. Este também foi um ótimo difusor. Atualmente uso um difusor suave para esse propósito, que pode convenientemente ser dobrado quando não estiver em uso”.

5. Velocidade do obturador

Na fotografia macro, você achará que as pequenas vibrações de suas mãos ao segurar a câmera serão suficientes para fazer a imagem inteira tremer. Combine isso com a tentativa de fotografar um inseto em uma planta que está balançando no vento e você tem um verdadeiro desafio em suas mãos. Portanto, é recomendável uma alta velocidade de obturação, especialmente para iniciantes. Comece com uma velocidade de obturador de 1/250s ou mais rápido.

Porém, a duração da luz de um speedlight geralmente é extremamente curta, e pode congelar sozinho seu assunto, mesmo combinado com uma velocidade de obturador mais lenta, como 1/100s. A razão é que o flash representará a maior parte da luz na foto, então, mesmo que você trema sua câmera, isso será quase invisível na exposição. Com uma lente macro de distância focal curta, você pode tirar belas fotos até com uma velocidade do obturador de 1/40s.

O benefício de usar uma velocidade de obturação lenta é que você pode evitar o fundo preto que obtém em fotos de macro com um flash. Em vez disso, você pode obter alguma cor em seu plano de fundo, tornando a foto um pouco mais natural.

Em resumo: comece com uma velocidade de obturação rápida. Depois de praticar um pouco, tente baixar gradualmente a velocidade do obturador, combinado com um flash.

6. Focalização

Em primeiro lugar, você pode esquecer o autofoco imediatamente. A focagem automática da maioria das lentes macro não é suficientemente rápida para acompanhar o nervosismo e a agitação que vem com uma ampliação de 1: 1. Simplesmente desista do autofoco e aprenda a focar manualmente.

Em segundo lugar, esqueça dos tripés. A menos que você esteja filmando algo completamente estático, como um produto em um estúdio, os tripés serão pouco práticos para usar na fotografia macro. Para fotografar insetos ou flores, você ficará desapontado por gastar tempo configurando o tripé, apenas para descobrir que as pequenas vibrações da flor no vento tornam a foto embaçada de qualquer maneira. Em mencionar que qualquer inseto teria voado embora nos primeiros 10 segundos de sua configuração.

“Ao longo do tempo desenvolvi o seguinte método de focagem, que acho que dá os melhores resultados: segure a câmera com as duas mãos e, de preferência, ancore seus cotovelos contra os lados ou as pernas para dar ainda mais estabilidade. Em seguida, gire seu anel de focagem para aproximadamente a ampliação que deseja obter. Em seguida, concentre-se, não tocando no anel de focagem, mas balançando lentamente em direção ao assunto, enquanto tenta encaixar a foto exatamente no ponto certo.”

Se você conseguir uma fotografia focada e nítida no lugar certo a cada cinco disparos, considere uma boa quantidade. Espere jogar fora muitas fotos ao fazer fotografia macro, especialmente no início.

7. Profundidade de campo

Como já foi mencionado, uma distância focal próxima significará uma profundidade de campo extremamente estreita. E uma vez que não estamos falando de técnicas avançadas como o empilhamento de foco, você descobrirá que as melhores fotos de macro vêm quando você utiliza a profundidade de campo estreita de maneiras inteligentes.

Tente encontrar assuntos que sejam planos e coloque-os na profundidade de campo. Exemplos são flores pequenas, planas ou borboletas fotografadas de lado, ou besouros com costas bastante planas.

Outro exemplo de como utilizar a profundidade de campo estreita de uma maneira criativa é fazer com que a cabeça de um inseto fique fora da área borrada. Isso cria um efeito interessante e esteticamente agradável.

8. Ângulos

Um erro comum de iniciante é convenientemente enquadrar a foto de onde você está, em um ângulo de 45 graus em relação ao inseto ou flor. Isso fará com que sua foto pareça com todas as outras fotos macro de novato por aí – em outras palavras: será monótona.

Tente encontrar ângulos incomuns, como fotografar o inseto de lado, de frente ou por baixo. Faça uso de sua tela móvel se você não quiser rastejar no chão. Se o inseto pousar em uma planta ou uma folha, tente puxar a planta para segurá-la contra o céu, dando um ângulo interessante e um fundo mais bonito.

9. Ampliação

“Algo que eu fiz muito como iniciante na fotografia macro foi sempre usar a ampliação máxima. Eu pensava: ‘quanto maior o inseto no quadro, mais legal a foto’. Mas a verdade é que muitas vezes você pode encontrar uma foto mais bonita ou interessante se você recuar um pouco e deixar o inseto parecer tão pequeno quanto realmente é, retratado nos arredores.”

10. Objetos afiados

E por último, nunca coloque objetos afiados, como facas ou brocas contra suas caras lentes macro. Apesar do que alguns youtubers parecem sugerir em suas miniaturas, evite também isqueiros e creme dental. Colocar coisas assim contra a sua lente só é útil para as miniaturas caça-cliques!


Assine nossa newsletter e fique informado :)

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto

Cid Costa Neto é redator do iPhoto Channel. Natural de Belo Horizonte, é bacharel em Artes Plásticas com habilitação em Fotografia. Atua como Fotógrafo, Professor e Programador Visual.

Adicione um comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as novidades por e-mail